Home  >  Negócios

Projeto JEDI: Amazon não quer que Microsoft inicie trabalhos para o governo

Companhia de Jeff Vezos vai à Justiça para impedir que a empresa comece a executar contrato firmado com Pentágono

Da Redação

14/01/2020 às 13h00

Foto: Shutterstock

A Amazon informou na segunda (13) ao Tribunal de Reclamações Federais dos Estados Unidos que irá solicitar uma liminar à Justiça para que a Microsoft não possa iniciar seu trabalho junto ao Pentágono até que o processo entre as duas esteja resolvido. 

Acontece que, em dezembro, a varejista abriu um processo contra a decisão tomada pelo Governo de escolher a companhia de Satya Nadella para comandar o contrato conhecido como Projeto JEDI, com duração máxima de 10 anos e gastos de até US$ 10 bilhões. 

No documento enviado pela Amazon Web Services (subsidiária do setor de cloud computing), a companhia informou que "pretende pleitear uma moção de ordem de restrição temporária e/ou liminar para impedir a emissão de ordens de tarefa substantivas nos termos do contrato, que os Estados Unidos haviam previamente informado à AWS". 

Procurada, a Microsoft informou que planeja solicitar à Justiça o bloqueio da liminar. 

Para lembrar 

Iniciado em março de 2018, o Joint Enterprise Defense Infrastructure
(mais conhecido como JEDI) é um projeto que chamou a atenção das
empresas de nuvem pelo valor e porte que do trabalho a ser realizado —
além de oportunidade de, por conta da experiência prévia, efetuar
negócios com outros setores do governo americano. 

Por ser líder no setor e já ter trabalhado anteriormente com a CIA, a Amazon (e boa parte do mercado) acreditava que a companhia seria a escolhida para a tarefa. Porém, em outubro o Governo optou por seguir com a Microsoft. 

Dias depois, a  Amazon formalizou seu protesto e pedido para que a decisão seja revisada, o que está ocorrendo no momento presente. 

*Com informações da Bloomberg