Home  >  Negócios

Compra do LinkedIn está começando a valer a pena para a Microsoft

Faturamento do LinkedIn cresceu 28% entre 2018 e 2019. Expectativa é que rede social atraia US$ 1,6 bilhão com publicidade apenas neste ano

Da Redação

09/01/2020 às 16h00

Foto: Shutterstock

A aquisição do LinkedIn pela Microsoft por US$ 27 bilhões parece começar a dar retorno para a gigante de Seattle. A rede social corporativa está crescendo mais rapidamente que o esperado. Uma pesquisa realizada pela eMarketer revelou que a base de usuários adultos nos Estados Unidos deve crescer 4,2% neste ano. Além disso, a previsão é de que a plataforma atinja a marca de 68,8 milhões de usuários estadunidenses até 2023.

Além das contas registradas, a expectativa é de que as receitas cresçam. Segundo a eMarketer, o LinkedIn atrairá US$ 1,59 bilhão com publicidade apenas neste ano. Segundo os especialistas, o valor crescerá 11,2% em 2021, saltando para US$ 1,77 bilhão.

Em seu último ano fiscal, a rede social faturou US$ 6,75 bilhões. O resultado representou um aumento de 28%, ou US$ 1,5 bilhão, de 2018 a 2019. "O LinkedIn continua inovando a sua plataforma e as suas ofertas para usuários e anunciantes", disse Jillian Ryan, analista principal da eMarketer, em comunicado no site da empresa.

Para Ryan, o LinkedIn vem apresentando crescimento mais lento em comparação com outras plataformas sociais, como o Facebook e o Instagram, mas a companhia vem investindo em novos recursos, incluindo o LinkedIn Live e Events, para engajar os usuários. "Embora essas novas experiências não sejam exclusivas do LinkedIn, a sua aplicação para o público profissional pode ser um diferencial para reter e atrair novos usuários", concluiu a especialista.