Home  >  Plataformas

Apple deve impulsionar soluções para casa conectada em 2020

Entrada da Apple no mercado de tecnologia doméstica inteligente parecia lenta, mas em 2020 companhia deve revelar novidades

Dan Moren, Macworld (EUA)

08/01/2020 às 15h00

Foto: Shutterstock

Na última década, a tecnologia começou a fazer parte de todos os setores das nossas vidas, e não há razão para pensar que essa tendência esteja perto de acabar. Ao longo de sua história, a Apple se posicionou na vanguarda de diferentes nichos tecnológicos, mas um setor que deve receber atenção especial com a chegada dos anos 20 será a tecnologia doméstica inteligente.

A gigante de Cupertino não é novata no mercado, é claro. O HomeKit, a estrutura doméstica inteligente da empresa, existe desde 2014 e, embora demore a decolar, algumas mudanças importantes ajudaram a solução a se tornar mais popular com o passar dos anos.

De fato, há muita concorrência na área de casas inteligentes, o que pode significar complicações com o rápido crescimento do setor. Apesar disso, em uma jogada rara para a Apple parece que a empresa está se movimentando para combater esses problema de frente… trabalhando com outras organizações.

CHoIPs

Em dezembro de 2019, a Apple anunciou que se juntaria aos principais fabricantes de aparelhos domésticos inteligentes, como Amazon, Google e Zigbee Alliance (que inclui várias grandes empresas, como Sony, Samsung SmartThings, IKEA e Signify) para criar um novo grupo, o Project Connected Home Over IP.

Embora o nome possa parecer clichê, a ideia por trás dele é sólida: unifique as estruturas de controle da tecnologia doméstica inteligente, para que os dispositivos funcionem melhor juntos. Diferentemente de alguns sistemas existentes de tecnologia doméstica inteligente, o projeto Connected Home - como o próprio nome sugere - será construído sobre o Internet Protocol (IP), ou seja, a maneira como a maioria dos dispositivos já se comunica.

Em teoria, isso poderia ajudar a reduzir a necessidade de dispositivos intermediários, além de permitir mais conexões entre os próprios aparelhos. E como o projeto utiliza tecnologia já desenvolvida por muitos membros do grupo, muitos dispositivos domésticos inteligentes devem poder tirar proveito.

A Apple nem sempre é a melhor no trabalho em grupo, portanto, o apoio da empresa a esse projeto é um sinal positivo. Diferentemente de outros mercados que a Apple entrou, dessa vez não haverá domínio por parte da gigante de Tim Cook, principalmente por não competir na maioria das categorias de tecnologia doméstica inteligente, como interruptores, iluminação e eletrodomésticos.

O que acontece em Vegas

Nos últimos anos, a Apple evitou participar do CES, em Las Vegas. Neste ano, no entanto, a companhia trabalha com parceiros para apresentar novos dispositivos habilitados para HomeKit e integração com a Siri. Novamente, esse movimento incomum demonstra a percepção da Apple de que a tecnologia doméstica inteligente não pode ser desenvolvida e lançada aleatoriamente.

Com tantos produtos no mercado, a empresa precisa trabalhar com parceiros para garantir que os dispositivos que os consumidores desejam sejam interoperáveis ​​com o seu sistema. E, como a CES continua sendo a maior feira de produtos eletrônicos de consumo nos EUA, é importante marcar presença onde o público está.

Indo para casa

Não parece exagero sugerir que 2020 será um ano significativo para a agenda doméstica inteligente da Apple. Mas agora que a companhia avançou rumo à interoperabilidade, quais próximos passos serão necessários?

Há muito tempo defendo que a Apple mergulhe no mercado de dispositivos domésticos inteligentes, apenas para fornecer um exemplo de "melhores práticas" para fabricantes de dispositivos compatíveis com o HomeKit. Embora a ênfase na interoperabilidade e no relacionamento com terceiros pareça dar credibilidade à ideia de que a Apple não deseja criar seus próprios aparelhos, talvez a empresa eleve a possibilidade de criar mais recursos em produtos que ajudam a dar suporte às casas inteligentes. Por exemplo, enquanto vários dispositivos Apple - como HomePod, Apple TV e iPad - podem atuar como hubs domésticos inteligentes para fins de automação HomeKit, nenhum desses aparelhos têm a capacidade de se comunicar com dispositivos baseados em Zigbee sem um segundo hub intermediário.

A Apple pode optar por adicionar suporte ao Zigbee em um HomePod ou Apple TV de última geração - como a Amazon fez com o Echo Plus - eliminando assim a necessidade de um dispositivo separado na rede. Da mesma forma, o aplicativo Home da Apple precisa de uma reforma, especialmente agora que mais e mais consumidores estão aproveitando o HomeKit.

Um recente teste de conceito demonstra algumas maneiras pelas quais a empresa pode melhorar seu aplicativo para otimizar o acesso aos recursos e mais personalização. O Home permaneceu praticamente inalterado desde a sua chegada em 2016, e provavelmente chegou a hora de receber algumas atualizações para trabalhar nesta nova e emocionante década.

Um lugar que a Apple liderou o ataque em tecnologia para a casa inteligente é a segurança e privacidade, com iOS 13 mesmo adicionando recursos como deixar registro de câmeras de segurança localmente em vez de enviar o seu vídeo na nuvem. Esperamos que este seja um lugar que a Apple transmita aos seus concorrentes, garantindo que todos possamos obter os benefícios da tecnologia doméstica inteligente sem as vulnerabilidades em 2020 e além.

Leia mais no IT Trends