Home  >  Segurança

Por que você não deve se conectar a redes Wi-Fi públicas, segundo o FBI

Agência de investigação americana aconselha só usar redes públicas em casos de emergência e se possível usando uma VPN

Da Redação

26/12/2019 às 17h01

Foto: Shutterstock

O Departamento Federal de Investigação dos EUA (FBI) recomendou que turistas evitem conectar seu smartphones tablet ou computadores em pontos de acesso a redes Wi-Fi gratuitos durante as férias.

Em comunicado à imprensa, um porta-voz do FBI explica que ao se conectar a uma rede pública, atacantes podem facilmente acessar e roubar dados de todos conectados na mesma rede.

"Este é um convite aberto para maus atores acessarem seu dispositivo. Eles podem carregar malware, roubar suas senhas e PINs ou até assumir o controle remoto de seus contatos e câmera”, disse a agência.

Caso seja uma necessidade se conectar ao Wi-Fi, siga as orientações de conexão do provedor para evitar pontos de acesso potencialmente configurados por cibercriminosos e atores mal intencionados.

O FBI sugere ainda o uso de uma rede virtual privada (VPN) que criptografe seus dados. Na teoria, seu uso impossibilita invasores de acessarem aos registros de suas informações transacionadas. Há opções de VPN gratuitas.

Outras recomendações da agência são em relação ao serviço de localização que deve estar sempre desativado, além de evitar compartilhar informações sobre sua viagem em redes sociais abertas.

Internet das Coisas

Outra recomendação do FBI para essas férias foi em relação a dispositivos equipados com Internet das Coisas, que devem estar devidamente configurados e protegidos contra possíveis invasores.

"Dispositivos não seguros podem permitir que hackers acessem seu roteador, dando ao bandido acesso a tudo o mais que você achava seguro em sua rede doméstica", disse o escritório do FBI.

O conselho final do FBI é que proprietários cubram com fita preta, a câmera dos seus equipamentos inteligentes quando não a estiverem usando e desligando "microfones, câmeras e coleta de informações pessoais, se possível".