Home  >  Negócios

Uber Works, serviço de recolocação, começa a se expandir pelos EUA

Iniciativa é um dos projetos tocados por Dara Khosrowshahi para provar aos investidores que a empresa tem um negócio sólido

Da Redação

19/12/2019 às 10h00

Foto: Shutterstock

Definitivamente, 2019 não foi lá um ano muito bom para a Uber. De startup com o IPO mais aguardado do ano, a companhia estreou na Bolsa de Valores americana com um valor de mercado menor do que o estimado. Ao longo dos meses, precisou lidar com a desconfiança do mercado sobre sua capacidade de fazer dinheiro, situação que não melhorou após a marca, em agosto, anunciar a demissão de 400 funcionários e um prejuízo histórico de US$ 52 bilhões. 

Dara Khosrowshahi, CEO da empresa, sabe que um dos objetivos principais da sua gestão é provar que a empresa conseguirá se manter a longo prazo, mesmo precisando de investimentos ao nível de bilhões nos próximos anos.  E o Uber Works é uma das iniciativas lançadas pela marca para esse reposicionamento. 

  • Leia na IT Trends 

Você está pronto para o futuro do trabalho? 

Para Nobel de Economia, trabalho é o principal local de aprendizagem 

Conectando empregos

A funcionalidade, que está em um período de testes em Chicago, funciona como uma ponta entre as empresas que estão com vagas abertas com possíveis funcionários. De início, os postos de trabalho disponíveis são para áreas como hotelaria e eventos, sempre realizando tarefas operacionais ou de recepção. A partir de 2020, o serviço será implementado em Miami. 

O app foi desenvolvido para ser muito mais do que um “mostrador de vagas”. Quando uma pessoa for contratada, ela poderá usar o aplicativo para monitorar dados como horas trabalhadas e pedidos de descanso. Já para os empregadores conseguem conferir as “notas” recebidas pelos candidatos em funções anteriores. 

O lançamento também chega em uma época na qual a empresa vem sendo pressionada em diversos países para assumir mais obrigações trabalhistas com seus parceiros: em agosto, a companhia uniu esforços com a também ride hailing Lyft para gastar US$ 60 milhões em ações para evitar ser enquadrado como empregador no estado da Califórnia. 

No anúncio da expansão do serviço para Miami, Khosrowshahi
garantiu que a empresa verá tempos melhores: ele estima que o balanço
financeiro da companhia estará normalizado em 2021. Para o executivo, a
empresa vive uma situação muito parecida com a da Amazon em 2010, que demorou anos para dar lucro.   

Além do setor de corrida, a Uber tem investimentos em áreas como veículos autônomos, bicicletas, scooters elétricos, carros voadores e o Uber Eats, que faz entrega de alimentos e mantimentos.  

Tags