Home  >  Plataformas

Conheça o BERT, algoritmo do Google que vai promover mudanças nas pesquisas

Atualização utiliza inteligência artificial para compreender o contexto no qual uma busca é realizada

Da Redação

18/12/2019 às 11h00

Foto: Shutterstock

A Google apresentou no dia 9 uma atualização do seu sistema de buscas. Chamado Bert (sigla para Bidirectional Encoder Representations from Transformers), o novo sistema é uma inteligência artificial que se diferencia da tecnologia antiga porque tenta entender o contexto no qual uma frase é escrita dentro do site. 

A mudança é importante porque apresenta uma nova forma de se fazer pesquisas antes no site. Até agora, o sistema identificava o conjunto de palavras mais digitados e apresentava as pesquisas. Por isso, era comum digitar termos mais diretos, como “emprego desaparecer 2026”, ao invés de “meu emprego vai desaparecer em 2026.” 

Apesar desse método funcionar em boa parte das buscas, muitas vezes o resultado não era o buscado pelos usuários porque o sistema estava “acostumado” com outros padrões de pesquisa. O Google apresentou o dado de que 15% das pesquisas feitas dentro da plataforma são feitas de forma diferente. Ou seja: a cada dia, esse percentual de usuários não encontrava o resultado que eles queriam, o que demandava mais tempo para fazer pesquisas. 

Desenvolvendo o Bert

Como o Google também utiliza o “Assistant” para fazer pesquisas de voz, a companhia trabalha em diversas frentes para desenvolver tecnologias que utilizam processamento de linguagem natural (NPL, em inglês) para entender os pedidos feitos pelos usuários sem que eles precisem executar comandos mais robóticos e diretos. E o Bert é uma dessas iniciativas. 

O novo algoritmo foi treinado após analisar milhares de artigos da Wikipédia e livros de romance e ficção científica, para que o sistema se acostumasse com o modo de fala humano e “adivinhasse” parágrafos e frases em contextos diferentes. 

Após diversas modelagens, o Bert se tornou capaz de entender construções de frases em mais de 70 idiomas, incluindo português brasileiro. Com esse novo sistema, a Busca passa a considerar conjunções e preposições que antes não eram consideradas por quem utilizava o sistema de pesquisas.  Ou seja: agora, pode valer mais a pena realizar perguntas mais completas.  

Funcionando na prática 

Dentro dos exemplos compartilhados pelo Google para mostrar a diferença de funcionamento entre o sistema antigo e o algoritmo atual. No exemplo abaixo, uma pesquisa em que está escrito em inglês "2019 viajante Brasil para EUA precisa de visto", que ao se ler já denota a ideia de que é uma pergunta sobre a necessidade de brasileiros precisarem de visto.  

Antes, o primeiro resultado dado pelo sistema era uma matéria do jornal Washington Post que fala sobre a liberação de cidadãos americanos de viajar ao Brasil sem a necessidade de visto. Um resultado bem diferente do que a busca feita. Com o Bert, o sistema utilizou o contexto da frase para entender o que a pergunta realmente quer dizer e dar um resultado mais correto, que é o site da embaixada dos EUA no Brasil. 

Em outra pesquisa, na qual se escreve "esteticistas trabalham muito", a resposta da esquerda, que segue o exemplo do sistema antigo, é um post comparativo entre duas variantes da mesma profissão.  

Já o segundo exemplo, já com o Bert, o resultado da direita é bem mais preciso, explicando os tipos de esforço físico que esse  profissional precisa executar.