Home  >  Negócios

Apple processa arquiteto de chips que deixou empresa para criar startup

Fabricante de iPhone alega que ex-funcionário se aproveitou de sua posição e informações privilegiadas para lançar empresa concorrente

Da Redação

17/12/2019 às 18h00

Foto: Shutterstock

A Apple está processando um ex-funcionário da companhia, acusando-o de quebra de contrato e "furto" de funcionários para criar a sua própria empresa, a startup Nuvia. As informações são do The Next Web.

Gerard Williams atuou como Chief Architect dos chips que alimentavam iPhones e iPads antes de deixar a gigante de Cupertino em fevereiro deste ano. Ele era, até então, considerado como um dos principais designers de chips da fabricante liderada por Tim Cook. Após quase 10 anos, ele deixou a Apple para fundar uma startup especializada em chips para data centers.

No processo, a Apple alega que Williams violou o contrato de propriedade intelectual, o que o proibiria de praticar qualquer ação que concorra com ela.

“Esse caso envolve o pior cenário possível para uma empresa inovadora como a Apple: um diretor sênior de confiança, com anos de experiência e anos de acesso às informações mais valiosas da Apple, inicia secretamente uma empresa concorrente, aproveitando a mesma tecnologia em que o diretor estava trabalhando e as mesmas equipes com as quais trabalhava, enquanto ainda trabalhava na Apple”, diz a Apple no processo.

Leia mais na IT Trends

Entretanto, em sua defesa, Williams acusa a Apple de monitorar suas mensagens de texto com os cofundadores da Nuvia, Manu Gulatti e John Bruno, também ex-funcionários da fabricante de iPhones, para elaborar o processo que segue aberto em um tribunal na Califórnia.

"Para intimidar ainda mais qualquer funcionário atual da Apple que possa se atrever a deixá-la, a queixa da Apple mostra que está monitorando e examinando os registros telefônicos e mensagens de texto de seus funcionários, em uma invasão impressionante e inquietante da privacidade", escreveram os advogados da Nuvia.

Como explica o The Next Web, independente de a Apple ter obtido ou não os registros de conversas de Williams para conseguir possíveis provas para o processo, é provável que um Juiz não dê a causa ganha para a Apple. Isso porque cláusulas de não concorrência são ilegais na Califórnia e isso poderia vir a beneficiar Williams.

Tags