Home  >  Segurança

Sistemas de reconhecimento facial podem ser enganados por máscaras e fotografias

Experimentos realizados pela Kneron conseguiram burlar plataformas na China e Holanda

Da Redação

16/12/2019 às 17h00

Foto: Shutterstock

A tecnologia de reconhecimento facial tem se tornado cada vez mais popular para a identificação de pessoas, mas testes revelam que há grandes falhas no que é considerado uma das ferramentas de segurança mais eficazes do mercado.

De acordo com informações da revista Fortune, a empresa de inteligência artificial Kneron visitou locais públicos para tentar enganar os terminais de reconhecimento facial. Em lojas da Ásia, onde a tecnologia é amplamente adotada, a equipe utilizou máscaras 3D de alta qualidade para burlar os sistemas de pagamento na hora das compras com sucesso.

Leia mais em IT Trends

Esses sistemas utilizam o rosto das pessoas em vez de um PIN ou impressão digital para validar a identidade, porém, a empresa demonstrou que máscaras e fotografias são suficientes para defraudar as plataformas. Para os especialistas, os testes implantados nos terminais de transporte foram ainda mais alarmantes.

No terminal de embarque do aeroporto de Schiphol, o maior da Holanda, a equipe da Kneron enganou o sensor com apenas uma foto na tela do smartphone. A companhia afirmou, ainda, que conseguiu obter acesso a estações ferroviárias na China, onde os passageiros usam o reconhecimento facial para pagar a sua tarifa e embarcar nos trens.

Segundo a Kneron, os experimentos foram realizados para aprender sobre as limitações da tecnologia. A empresa, liderada por investidores como a Qualcomm, está desenvolvendo um sistema chamado "Edge AI", ferramenta de inteligência artificial capaz de reconhecer pessoas em dispositivos, e não em serviços baseados em nuvem.

Apesar de ter conseguido enganar algumas plataformas de reconhecimento facial, a companhia observou que os testes não foram capazes de burlar, por exemplo, o iPhone X, da Apple.

Os analistas observam que as ferramentas biométricas, cada vez mais comuns, são menos seguras do que muitos acreditam. Pensando nisso, já está havendo um intenso debate sobre a amplitude da implantação do reconhecimento facial, incluindo questões sobre privacidade.