Home  >  Sem Categoria

Ericsson pagará mais de US$ 1 bilhão para encerrar acusações de propina

Valor corresponde a multa por conta de um sistema ilegal de vantagens instalado em cinco países

Da Redação

09/12/2019 às 14h30

Foto: Shutterstock

A empresa de telefonia Ericsson anunciou na sexta (6) que entrou em acordo com a justiça americana e pagará uma multa de US$ 1,6 bilhão por conta de dois casos de propinas identificados pelo Departamento de Justiça. Segundo os dados, US$ 540 milhões serão pagos pelo crime de propina, identificado pela SEC (Comissão de Títulos e Câmbio, em português) e US$ 520 milhões por conta de outro processo similar, movido por membros da Lei de Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA, em inglês). 

Na divulgação do acordo, a Ericsson também informou que sua área de gestão contará com um monitoramento independente de conformidade durante os próximos três anos, além de adotar outras medidas para fortalecer sua área de ética e compliance. 

Instituições do governo americano identificaram que, ao menos entre 2010 e 2016, executivos da companhia sueca operaram esquemas de propina em cinco países Djibouti, China, Vietnam, Kuwait e Indonésia. 

Em Djibouti, país localizado na África, mais de US$ 2 milhões foram pagos a membros do alto escalão do governo para que a empresa vencesse o contrato para projetos de telecomunicações no local. Já na China, “dezenas de milhões de dólares” foram pagos para agentes, consultores e fornecedores para conquistar preferências. 

 De acordo com a empresa, o pagamento da multa não afetará as operações, pois já existe o dinheiro necessário para cobrir as despesas com esses pagamentos.