Home  >  Negócios

Elon Musk é julgado for difamação

Bilionário foi processado após acusar mergulhador que auxiliou no resgate de um time de futebol de pedofilia

Da Redação

05/12/2019 às 11h49

Foto: Shutterstock

Na última terça-feira (3), foi iniciado o julgamento do CEO da Tesla e da SpaceX, Elon Musk. O bilionário é acusado de difamação após acusar um britânico que vive na Tailândia por pedofilia.

O julgamento é o mais recente acontecimento de uma série de eventos iniciados em julho de 2018, quando um time de futebol juvenil e o seu treinador ficaram presos em cavernas inundadas na província de Chiang Rai, na Tailândia.

O caso rapidamente despertou a atenção da mídia e de Elon Musk, que publicamente encarregou uma equipe de engenheiros das suas empresas para construir um mini-submarino para o resgate.

Um mergulhador britânico chamado Vernon Unsworth trabalhou na área e não considerou os planos de Musk adequados. Para Unsworth, o esquema não passava de um golpe publicitário.

Contrariado com as declarações do mergulhador, Musk disse que fez uma pesquisa no Google e disse ter descoberto que a casa de Unsworth em Chiang Rai estava ligada ao comércio sexual. Poucas semanas depois, o bilionário acusou o britânico de ser um "estuprador de crianças".

De acordo com informações do Wired, documentos revelaram que outro homem britânico, James Howard-Higgins, procurou Musk alegando que o mergulhador realmente tinha segredos.

Howard-Higgins recebeu mais de US$ 50 mil para investigar a história de Unsworth. Após a suposta investigação, Howard-Higgins afirmou que o mergulhador havia casado com uma garota de 12 anos.

Posteriormente, descobriu-se que o delator tem antecedentes criminais e pode ter inventado as informações. Segundo os advogados de Unsworth, sua esposa tinha 32 anos quando se conheceram.

Em setembro de 2018, após a publicação da nova alegação de Musk, Unsworth processou o empresário por difamação no tribunal federal da Califórnia.

O mergulhador espera receber pelo menos US$ 75 mil pelos danos.

Tags