Home  >  Inovação

BNDES aprova projeto-piloto de IoT aplicado em Campinas

Testes avaliarão os benefícios da IoT aplicada à segurança e iluminação pública. Investimento total será de R$ 9,89 milhões

carla

04/12/2019 às 14h19

Foto:

A primeira operação de apoio ao projeto-piloto de internet das coisas (IoT) aplicada ao ambiente urbano foi aprovada, segundo a Agência BNDES de Notícias.

Durante os testes, serão realizados experimentos de soluções de IoT em segurança e iluminação pública na cidade de Campinas, em São Paulo. O objetivo é que a tecnologia ofereça vantagens como o aumento da segurança, redução de custos com energia e aumento da oferta de serviços prestados.

O projeto será conduzido pela Fundação Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) em parceria com a prefeitura de Campinas. O investimento total será de R$ 9,89 milhões. “Trata-se de um projeto complexo, que contempla várias aplicações IoT destinadas a melhorar a vida do cidadão nas cidades inteligentes”, declara o presidente do CPQD Sebastião Sahão Júnior.

Para compreender de que forma as cidades podem aproveitar a IoT, o estudo "Internet das Coisas: Um Plano de Ação para o Brasil", realizado para o BNDES e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações pelo consórcio McKinsey-CPQD-Pereira Neto/Macedo Advogados, mostra que é possível utilizar a tecnologia para alcançar maior eficiência da gestão e da qualidade dos serviços prestados à população.

Projetos testados

Entre os pilotos estará o estudo dos benefícios da IoT para a segurança pública. Com a instalação de 22 novas câmeras e a implantação de um sistema de visão computacional, a iniciativa terá como objetivo adaptar o sistema de videomonitoramento da cidade de Campinas. O mesmo acontecerá para o rastreamento de placas de veículos suspeitos (roubados ou utilizados em ações criminais).

Outra solução testada será dedicada à iluminação pública. A ideia é tornar o uso de energia mais eficiente, proporcionando economia, controle remoto e a formação de uma rede de alta confiança. Segundo o BNDES, será instalado um sistema composto por 350 módulos de telegestão.

Ricardo Rivera, chefe do Departamento de Telecom, TI e Economia Criativa do BNDES, afirma que as novas tecnologias proporcionam o desenvolvimento sustentável do Brasil, tornando as gestões mais eficientes e otimizando a qualidade de vida nas cidades.

“Projetos como o do CPQD têm capacidade para demonstrar o imenso potencial da utilização da internet das coisas no ambiente urbano, bem como as dificuldades encontradas no processo, funcionando como um laboratório em ambiente real para auxiliar o processo de massificação da tecnologia.”