Home  >  Negócios

Em parceria com Nokia, Algar começa testes experimentais com 5G

Ainda realizadas em laboratório, experimentações contam com apoio da Universidade Federal de Uberlândia

Da Redação

29/11/2019 às 11h00

Foto: Shutterstock

A Algar Telecom está conduzindo uma nova etapa de testes com a tecnologia 5G, desta vez em cooperação com a Nokia. A experimentação, já em fase final, está sendo realizada em laboratório e em ambiente externo na sede da Companhia, com o apoio da Faculdade de Computação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).  

Para realizar os testes, a fabricante conta com uma licença de permissão da Anatel para uso da faixa de 3,5 MHz em caráter de teste e pesquisa científica. Todos os testes foram feitos com o smartphone Huawei Mate 20X 5G, ainda não disponível comercialmente no Brasil; em dispositivos roteadores domésticos (similares aos usados hoje no Wi-Fi) do modelo Huawei 5G CPE Wifi 6; e no dispositivo de realidade virtual PICO NEO 6DoF All-in-one. Em outubro, também aconteceram testes abertos ao público em Uberlândia, Minas Gerais.  

Durante o processo, os dispositivos da Nokia em utilização são os roteadores domésticos Nokia FastMile 5G e o WNC 5G, gateways que possibilitam serviços de acesso fixo sem fio (FWA, da sigla em inglês) com velocidades gigabit na última milha da rede. Os resultados de velocidade de conexão e latência serão divulgados em dezembro. 

5G no Brasil 

A tecnologia 5G, que possibilitará internet mais potente e rápida para pessoas e empresas, ainda está em fase de testes no Brasil. Em 2020, governo e empresas devem realizar o primeiro passo para a expansão da tecnologia, que é a realização do leilão que vai distribuir para as telecoms as faixas de frequência separadas para o suporte do sistema.  

“Seguimos otimistas com as preparações para a chegada do 5G. Acreditamos que a proposta apresentada pelo conselheiro da Anatel, Vicente Aquino, seja um passo importante para permitir que as PPPs consigam permanecer competitivas no mercado de telecom. Estamos confiantes na manutenção dessas condições na versão final do edital”, comenta Jean Borges, diretor presidente da Algar Telecom.