Home  >  Negócios

Projeto JEDI: Amazon move ação contestando escolha da Microsoft

De acordo com advogados da marca de e-commerce, foram anexados dentro do processo documentos que poderiam revogar decisão anterior

Da Redação

26/11/2019 às 11h00

Foto: Shutterstock

Até que demorou, mas no final da semana passada a Amazon entrou com um recurso na corte americana contestando a escolha da Microsoft para comandar o contrato de até US$ 10 bilhões com o Pentágono para serviços de computação em nuvem. 

De acordo com executivos da Amazon envolvidos na ação, foram anexados documentos financeiros, arquivos confidenciais e segredos de negócio que poderiam ser levados em consideração para uma segunda opinião. 

Na semana passada o Secretário de Defesa Mark Esper negou a sugestão de que a escolha da Microsoft em favor da Amazon foi realizada com base em algum viés negativo. 

Ao saber da ação movida pela concorrente, a Microsoft enviou um comunicado afirmando que enviará documentos capazes de mostrar que a companhia tem capacidade de atender às expectativas do Departamento de Defesa. 

Para lembrar  

Iniciada em março de 2018, a licitação para o Projeto JEDI (sigla para Joint Enterprise Defense Infrastructure) movimentou as principais empresas que atuam em tecnologia por conta do seu potencial de negócio. A empresa vencedora assinaria um contrato de dois anos com o Departamento de Defesa americano e seria responsável por administrar e melhorar os serviços de nuvem. 

Dependendo do desempenho da marca, o acordo poderia ser estendido por até 10 anos e o governo havia estipulado um teto de US$ 10 bilhões em gastos para novas ferramentas e sistemas.

Por ser líder no setor de cloud e já ter atuado anteriormente com o Governo, a Amazon era vista como favorita pelo mercado. Porém, foi a companhia de Satya Nadella e a plataforma Azure que acabaram eleitas para o projeto.