Home  >  Plataformas

Adeus? Microsoft vai finalizar aplicativos da Cortana para Android e iOS

Aplicativos não terão mais suporte da companhia a partir de fevereiro de 2020; objetivo é concentrar uso da assistente dentro de produtos da marca

Da Redação

19/11/2019 às 20h00

Foto: Shutterstock

A partir de fevereiro de 2020, o aplicativo da assistente de voz Cortana não contará mais com suporte para iOS e Android, praticamente encerrando a “carreira” assistente de voz no mundo mobile.  

O anúncio, publicado dentro da área de ajuda ao usuário da Microsoft, explica que rotinas criadas pelos usuários com base no app (como alarmes e lembretes) não funcionarão mais tanto no smartphone como no programa Microsoft Launcher, ficando apenas acessíveis dentro dos sistemas para desktop ou computador. 

A mudança não ocorre de forma global. Os primeiros países que não contarão mais com o produto serão Austrália, Reino Unido, Alemanha, México, China, Espanha, Canadá e Índia.

“Para tornar seu assistente digital pessoal o mais útil possível, estamos integrando a Cortana aos seus aplicativos de produtividade do Microsoft 365. Como parte dessa evolução, em 31 de janeiro de 2020, encerraremos o suporte ao aplicativo Cortana no Android e iOS”, afirmou a empresa em comunicado oficial. 

Lançada em dezembro de 2015, a assistente de voz tinha como meta bater de frente com produtos da Google, Amazon e Apple. Só que a falta de adesão do público aos celulares Windows Phone (e, consequentemente, à assistente), fez com que o app nunca consegue se mostrar um adversário à altura. 

No ano passado, a empresa comandada por Satya Nadella buscou opções para integrar a Cortana mais no dia a dia das pessoas, como sua integração dentro da Alexa. Porém, com a saída de Javier Soltero, que era líder da área dentro da companhia (e que acabou indo para o Google Cloud), o destino da IA voltou a ser uma incógnita. 

Atualmente, a Microsoft está dando alguns passos para trás e focando a inserção da Cortana dentro de ecossistemas proprietários, como o Office365. A ideia é que, ao ter uma integração mais profunda com produtos consolidados, a frequência de uso aumente por parte dos usuários. 

*Com informações do The Verge