Home  >  Negócios

Igrejas estão usando câmeras de reconhecimento facial para monitorar fiéis

Empresas já criaram ferramentas de reconhecimento facial que ajudam a medir engajamento e presença do público

PC World Brasil

15/11/2019 às 18h00

Foto: Shutterstock

Palco para simulações virtuais de passagens bíblicas, shows de música gospel e estandes de editoras evangélicas, a 15ª ExpoCristã aconteceu em São Paulo e elevou a tecnologia a outro nível.

Duas empresas se destacaram por uma ideia semelhante que possibilita que pastores vigiem os fiéis através de câmeras inteligentes com reconhecimento facial. Uma delas é a Kuzzma, empresa estrangeira tão confidencial que não revelou seu país de origem e nem quis fornecer quaisquer informações adicionais sobre seu funcionamento para a Pública, agência de jornalismo investigativo. “A Kuzzma optou por não falar publicamente sobre o assunto, por se tratar de um tema delicado”, explicou o vendedor Rafael Melo em um e-mail.

No entanto, durante a ExpoCristã, o CEO Marcelo Scharan apresentou a nova câmera panorâmica de alta resolução capaz de identificar informações pessoais de cada fiel que entra na igreja.

“Dados como sexo, idade, frequência, horário de chegada, motivos prováveis de atraso e muitos outros são analisados e apresentados em relatórios. Conseguimos definir em nossas métricas até mesmo se alguém precisa de uma visita pastoral”, afirmou.

Enquanto isso, a Igreja Mobile, concorrente nacional, também oferece reconhecimento facial para eventos cristãos, mas, diferentemente da Kuzzma, já presta o serviço há um ano. No caso da empresa brasileira, uma câmera comum captura as imagens e as transmite para um computador que, por sua vez, recolhe informações sobre os visitantes.

“Nós conseguimos definir para o cliente a assiduidade do usuário, contagem de pessoas, humor do usuário, se ele está feliz, se está triste, se está angustiado, com medo. Nós conseguimos definir isso tudo”, disse Luís Henrique Sabatine, diretor de desenvolvimento da Igreja Mobile.

A empresa foi inicialmente fundada para possibilitar a transmissão ao vivo dos cultos pregados nas igrejas, mas o pastor Cláudio Duarte solicitou algo a mais. “Nas conversas e trocas de ideia, ele [pastor Cláudio Duarte] tocou nesse assunto e nós gostamos bastante e implementamos”, contou Sabatine. Ainda segundo o diretor, 40% dos clientes (160 igrejas) da empresa utilizam o serviço de reconhecimento facial, mas o restante só contratou as câmeras para transmitir os eventos.

Tanto a Igreja Mobile quanto a Kuzzma não divulgam os nomes das igrejas que desfrutam de seus serviços, seja qual for o objetivo do cliente com isso.

O que se sabe é que a Kuzzma cobra, no mínimo, US$ 200 (aproximadamente R$ 840) mensais para vigiar fiéis, sendo que o preço varia de acordo com o número de eventos semanais e com o número de câmeras instaladas. Já a Igreja Mobile nem comentou sobre valores, mas afirmou que os preços também variam dependendo dos diferenciais contratados.

*Com informações PC World e Agência Pública