Home  >  Negócios

Centro tecnológico de SP começa a operar no primeiro semestre de 2020

Projeto CITI, anunciado pelo Governo de SP, terá soluções para Indústria 4.0 e políticas para fomentar o uso de soluções avançadas dentro de PMEs

Da Redação

07/11/2019 às 19h00

Foto: Divulgação/Prefeitura de SP

Anunciado no começo de 2018 pela prefeitura de São Paulo, o CITI (Centro Internacional de Tecnologia e Inovação), ocupará o CEAGESP e foi pensado para ser um distrito de tecnologia e inovação inspirado no que acontece no Vale do Silício, nos Estados Unidos. Nesta quinta (7), a prefeitura confirmou a conclusão da primeira fase para até junho de 2020. 

“No primeiro semestre de 2020, nós já teremos o CITI funcionando na sua primeira etapa, onde hoje está o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), uma instituição de altíssimo valor do Governo do Estado de São Paulo”, declarou o Governador João Dória, após reunião de trabalho em parceria com o Fórum Econômico Mundial (WEF) e o Ministério da Economia. 

Além da definição da primeira fase, foi anunciada a instalação da Biovet Vaxxinova, empresa de saúde animal que será a primeira a se fixar no campus do IPT com seu próprio centro de inovação.  

Também foram anunciadas as instalações de polos de pesquisa em parceria com o Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife e um Centro de Inovação no Instituto Butantan. 

Centro e trinta pequenas e médias empresas deverão participar do projeto em sua fase inicial. Até 2021, a expectativa do programa é atender 2.000 empresas. 

Indústria 4.0 é um dos focos

Uma das operações que funcionarão dentro do CITI é o Centro da Quarta Revolução Industrial, que terá sede no IPT e atuará com políticas de dados, Indústria 4.0, Internet das Coisas, cidades inteligentes, robótica, Inteligência artificial e blockchain. 

A criação do Centro da Quarta Revolução Industrial foi feita em agosto e sua inauguração deve ocorrer no encontro anual do Fórum Econômico Mundial, em Davos, em janeiro de 2020.