Home  >  Plataformas

Documentos sigilosos mostram táticas do Facebook para frear concorrência

Arquivo, que conta com quase 4 mil páginas, mostra estratégias internas da marca e como a empresa adotou um controle cada vez maior dos dados gerados

Da Redação

06/11/2019 às 17h05

Foto: Shutterstock

Nesta quarta (6), o jornalista investigativo Duncan Campbell divulgou uma série de documentos internos do Facebook, recebidos pelo profissional em fevereiro desse ano.

O compilado, que contabilizada quase 4 mil páginas, reúne e-mails internos, relatórios e outros documentos confidenciais datados desde o início de 2010, descreve a abordagem adotada pela rede social sobre questões relacionadas a privacidade dos usuários e o controle de dados que ela exercia e quais companhias teriam ou não acesso à sua base de informações.

De acordo com o Business Insider, que começou a analisar a papelada, todos os documentos foram anexados em um processo movido pela startup Six4Three contra o Facebook, porque a plataforma suspendeu o acesso a um de seus aplicativos.

Apesar de ter apresentado as informações apenas agora, Campbell já compartilhou o arquivo com outros documentos e entrou em contato como próprio Facebook para buscar um posicionamento da empresa sobre o tema.

De acordo com o ‘Business’, o Facebook “lutou vigorosamente contra a divulgação dos documentos”, afirmando que eles não apresentam um retrato justo das ações internas da firma. Mas como não foi possível, a empresa enviou o seguinte comunicado “Estes documentos antigos foram colocados fora de contexto por alguém com uma agenda contra o Facebook, e foram divulgados publicamente totalmente contra as leis dos EUA.”

 

O que foi publicado até agora

Em resumo, pode-se dizer que uma das principais preocupações da plataforma estava em como explorar ao máximo os dados coletados por usuários e de quais formas seria possível impedir que rivais tivessem o mesmo acesso:

O Business Insider encontrou diversos emails enviados por empregados do Facebook que apresentam estratégias da companhia para limitar o acesso de possíveis concorrentes à sua API. Em um email enviado em junho de 2013, um funcionário afirma que a rede social iria restringir o acesso da Amazon aos dados de usuários porque uma função criada pela empresa concorria de forma direta com um produto da empresa.

E a Reuters publicou que, em 2012, o Facebook começou a cortar acesso de desenvolvedores aos dados da empresa para impedir o surgimento de novos concorrentes, o fortalecimento de empresas que já existiam ou desenvolvedores que poderiam produzir soluções próprias. Porém, divulgou o plano, conhecido internamente como “Switcharoo Plan”, como uma medida em prol da privacidade dos usuários.

Tags