Home  >  Segurança

Cientista é condenado a prisão por minerar criptomoedas no trabalho

Andrei Rybkin minerou criptomoedas ilegalmente nas dependências da instituição onde trabalhava. Além da prisão, terá de pagar multa

Da Redação

01/11/2019 às 16h00

Foto: Shutterstock

Um funcionário do All-Russian Scientific Research Institute of Experimental Physics, centro de pesquisa e desenvolvimento de armas nucleares na Rússia, foi condenado na última semana a três anos de prisão por minerar criptomoedas no trabalho.

De acordo com o a agência de notícias russa Meduza, o cientista nuclear Andrei Rybkin minerou criptomoedas ilegalmente nas dependências da instituição onde trabalhava. Além dos anos de prisão, Rybkin deve pagar US$ 3,122 “por usar os recursos de seu local de trabalho para minerar criptomoedas”, diz a agência.

Rybkin teria ainda trabalhdo com mais dois colegas de trabalho, Andrei Shatokhin e Denis Baykov, que foram condenados a pagar multa além de sentença suspensa de quatro anos. Os danos ao instituto foram estimados em mais de US$ 15 mil. Os cientistas utilizaram computadores do instituto que estavam sem uso e a mineração acontecia principalmente durante à noite.

Como explica o portal The Next Web, essa não é a primeira vez que indivíduos são pegos por mineração ilegal de criptomoedas. Há alguns meses, um ex-funcionário da Amazon Web Services que estaria por trás da violação de dados bancários da Capital One também poderia ter usado os servidores em nuvem infiltrados para minerar criptomoedas ilegalmente.