Home  >  Carreira

Maioria dos brasileiros confia mais em robôs do que líderes humanos

Segundo estudo da Oracle, otimismo e confiança dos brasileiros em relação à inteligência artificial é superior a média mundial

Da Redação

24/10/2019 às 18h00

Foto: Shutterstock

Profissionais brasileiros confiariam mais em robôs do que seus gerentes de carne e osso. A conclusão é de um estudo encomendado pela Oracle, o “AI at Work”, e realizado pela Future Workplace.

No total, a pesquisa entrevistou 8.370 empregados de 10 países diferentes. O recorte brasileiro ouviu 450 profissionais, sendo 150 funcionários e 300 líderes e gerentes de RH. A tecnologia, diz o estudo, é vista com otimismo por empresas e profissionais brasileiros, sendo que 72% afirmaram estar entusiasmados com a inteligência artificial em comparação com 43% do mundo todo. Além disso, 84% das empresas no Brasil afirmam procurar empregar pessoas com habilidades de IA.

O nível de confiança é tamanho, de acordo com o estudo, que 78% dos entrevistados no Brasil afirmaram que confiariam mais em um robô do que em seu gerente. A média mundial é 64%, sendo Índia 89% e China 88% os países com os maiores índices de trabalhadores que confiam mais na tecnologia.

Já com relação a privacidade de dados, 68% dos brasileiros estão “às vezes dispostos” ou “sempre dispostos” a abrir mão da privacidade pelos benefícios da inteligência artificial. Globalmente, 82% dos entrevistados pensam que robôs podem fazer as coisas melhor do que seus gerentes.

“Como esse estudo mostra, o relacionamento entre humanos e máquinas está sendo redefinido no trabalho, e não há uma abordagem única para o gerenciamento bem-sucedido dessa mudança. Em vez disso, as organizações precisam formar uma parceria com o RH para personalizar a abordagem de implementação da IA no trabalho, a fim de atender às expectativas de mudança de suas equipes em todo o mundo”, disse Emily He, vice-presidente sênior do Grupo de Negócios em Nuvem de Gerenciamento de Capital Humano da Oracle.

O estudo completo está disponível em inglês no link.