Home  >  Negócios

Tim Cook assume presidência de conselho em universidade na China

CEO da Apple é agora presidente do conselho da Escola de Economia e Administração da Universidade de Tsinghua, em Pequim

Da Redação

23/10/2019 às 14h05

Foto: Shutterstock

O CEO da Apple, Tim Cook, foi nomeado presidente do conselho da Escola de Economia e Administração da Universidade de Tsinghua, em Pequim, China. Segundo a instituição, o executivo foi eleito por um período de três anos e iniciará o seu trabalho imediatamente. As informações são da Business Insider.

Cook não é o primeiro CEO do Vale do Silício a ingressar na Escola de Economia e Administração. Sua lista de membros do conselho consultivo inclui o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, e o CEO da Microsoft, Satya Nadella. Jamie Dimon, CEO do JPMorgan, e Jack Ma, fundador do Alibaba, também fazem parte do grupo. Segundo o portal, a associação ao conselho dá aos executivos acesso a influentes empresários e políticos chineses.

Vale destacar que a nomeação de Tim Cook chega em um momento delicado para a Apple. O CEO da Apple recebeu críticas por sua decisão no início do mês de remover da App Store um aplicativo chamado HKMap.live, que permitia aos manifestantes de Hong Kong rastrear movimentos policiais. Os desenvolvedores do app consideraram a decisão como censura política, mas Cook afirmou que a plataforma permitia violação da lei.

Em um comunicado para funcionários da Apple, Cook justificou sua decisão com o argumento de que o aplicativo estava sendo usado para atacar policiais e "vitimar indivíduos e propriedades onde não há polícia". O CEO disse, ainda, que recebeu "informações confiáveis" do Departamento de Crimes de Cibersegurança e Tecnologia de Hong Kong, bem como de moradores locais, que sugeriram que o app estava sendo utilizado para tais fins.

Outro ponto de polêmica sobre a aproximação de Cook com a China é a guerra comercial que o país oriental está enfrentando com os Estados Unidos. O governo Trump está impondo taxas sobre produtos fabricados na China, impactando diversos produtos importantes da Apple, como os AirPods e o Apple Watch. Por conta disso, a Apple está considerando a mudança de parte da produção para o Vietnã.