Home  >  Negócios

Kroton anuncia holding de educação e braço de investimentos em startups

Líder em educação privada no Brasil terá agora quatro empresas distintas e estratégias dedicadas ao mercado B2B

Guilherme Petry*

08/10/2019 às 12h00

Foto: Shutterstock

A Kroton Educacional, empresa líder em educação privada no Brasil, anunciou nessa segunda-feira (07/10), durante o 10º Kroton Day, a criação da holding Cogna Educação. Agora, cada mercado de atuação da companhia terá uma empresa separada. São elas: Kroton, Saber, Vasta Educação e Platos. As divisões visam atender melhor não só o público B2C, voltado para consumidores finais, como também B2B, com soluções pensadas para empresas. Há ainda a Cogna Ventures, braço criado para investir em startups do setor.

Com as mudanças, a Kroton, que segue com o mesmo nome, terá foco em cursos de ensino superior; a Saber cobrirá cursos de idiomas e as escolas de ensino básico das quais a Kroton é dona; já a Vasta Educação vai oferecer serviços de gestão para as escolas e material didático, incluindo eventual participação em licitações públicas. Por fim, a Platos foi criada para oferecer serviços de gestão para o ensino superior.

Rodrigo Galindo, que respondia como CEO da Kroton será o CEO da Cogna Educação. Roberto Valério, que era presidente de ensino superior, passará a ser o presidente da marca Kroton. Já a Platos fica sob direção de Paulo de Tarso, Paulo Serino com a Saber e Mário Ghio com a Vasta Educação. Com a mudança, a Cogna assume o antigo prédio da Fnac na Avenida Paulista. Todas as empresas da Cogna devem ficar instaladas no mesmo prédio. A mudança começa a valer de fato a partir do dia 1º de janeiro de 2020.

Até então, a Kroton, fundada em 2007, vinha focando suas estratégias no mercado voltado para estudantes (B2C). Entretanto, Galindo, durante o evento, destaca que esse mercado - sozinho - não deve sustentar o crescimento projetado pela empresa. A Cogna deve atuar com mais presença no mercado B2B, principalmente com relação ao ensino superior. “Há muito espaço para crescer”, conta Galindo. Como projeta o executivo, para continuar crescendo, a Cogna investirá em tecnologia como serviço, “Plataform as a service (PaaS)” e sistemas de gestão para escolas e instituições de ensino.

Tecnologia para sustentar crescimento

Paulo de Tarso, atual diretor executivo da Platos, explica que a empresa deve fornecer serviços de gestão de educação para instituições de ensino, principalmente instituições que buscam oferecer programas de pós-graduação, além de atender as faculdades e universidades da empresa.

Já a Vasta Educação, comandada por Mário Ghio, deve, além de servir as escolas administradas pela Cogna, oferecer produtos e serviços para terceiros. Ghio explica que o principal objetivo da empresa é transformar escolas analógicas, que não possuem coleta de dados e gestão inteligente em escolas digitais, com serviços oferecidos na modalidade “plataform as a service (PaaS).

A Vasta Educação vai se concentrar em comercializar uma plataforma de conteúdo e edtech, chamada K-12, uma solução para escolas de ensino básico que oferece conteúdo acadêmico, cursos de idiomas, conteúdo socioemocional, treinamento de professores além de um sistema de ensino de “science, tech, engineering e math” (STEM).

Paulo Serino, diretor executivo da Saber, explica que uma das principais razões para a separação da empresa é que a educação básica é muito diferente do ensino superior.

*Guilherme Petry é estagiário sob supervisão da editora Carla Matsu