Home  >  Negócios

Accenture: empresas líderes na adoção de tecnologias dobram crescimento

Estudo da consultoria indicou características em comum sobre cultura e comportamento das empresas que apresentaram melhor desempenho

Da Redação

08/10/2019 às 15h15

Foto: Shutterstock

Levantamento feito pela Accenture revela a associação entre a forma de implementação de soluções tecnológicas e o desempenho financeiro das empresas, sendo que as taxas de crescimento de receitas chegam a ser mais que o dobro se comparadas com as empresas que tiveram baixo desempenho nos critérios de avaliação da pesquisa.

O estudo “Full Value. Full Stop. How to scale innovation and achieve full value with Future Systems” analisa como as companhias promovem escala para a inovação e de que forma essas ações influenciam no alcance do valor total dos investimentos em tecnologia. A pesquisa coletou informações de mais de 8.300 empresas, alocadas em 20 indústrias e 22 setores.

Adoção tecnológica gerou o dobro de receita

A pesquisa dividiu os grupos de acordo com três fatores: adoção tecnológica, profundidade da adoção tecnológica e nível de preparo organizacional e cultural. Para fins de análise, ao atribuir uma pontuação para cada um desses aspectos, as empresas foram agrupadas entre "líderes" (10% principais) e no grupo "lanterna" (25% inferiores).

Considerados os indicadores de desempenho coletados a partir de 2015 e projetados até 2023, o estudo identificou a relação entre adoção tecnológica e valor alcançado, constatando que, entre os líderes, a receita cresce mais do que o dobro do que entre os últimos colocados.

Além disso, apenas em 2018, as empresas nas últimas posições registraram 15% em perdas da receita anual e ainda devem perder em torno de 46% dos ganhos potenciais de receita até 2023 se não mudarem a forma como lidam com a tecnologia.  Ou seja: não investir em avanços traz prejuízos concretos ao negócio.

O que é que as líderes têm

O estudo Future Systems (que pode ser acessado nesse link) concluiu que as empresas líderes contam com uma mentalidade e abordagem distintas em relação à adoção tecnológica e à transformação organizacional. De acordo com a pesquisa, as companhias com maior adoção ao digital e faturamento possuem as seguintes características:

  • Adoção de tecnologias ágeis e flexíveis: entre as empresas no topo do ranking, 98% estão adotando tecnologias robustas como IA, contra apenas 42% das empresas no fim do ranking. As empresas líderes também estão usando soluções que possibilitam dissociação de dados, infraestrutura e aplicações. Na verdade, a adoção de tecnologias como DevSecOps, microsserviços e contêineres é consideravelmente maior entre as empresas líderes em comparação com as companhias do grupo lanterna: 97% contra 30%.
  • Investimento em tecnologias de computação em nuvem: os líderes também estão muito à frente quando o assunto é a adoção de tecnologias em nuvem como forma de alavancar efetivamente outras tecnologias, incluindo IA e analytics. Entre os líderes, 95% enxergam a nuvem como um catalisador da inovação, em comparação com apenas 30% do grupo de empresas nas últimas colocações.
  • Percepção de dados como ativo da companhia: 90% das líderes tomam medidas para garantir o nível de qualidade dos seus dados, em vez de confiar em dados potencialmente não verificados ou tendenciosos. Entre os executivos à frente das empresas líderes, 94% afirmam que seus dados são confiáveis o suficiente para gerar mudanças nos negócios, em comparação com apenas 64% das companhias no grupo lanterna.
  • Tecnologia  presente em todas as áreas da empresa: as líderes apresentam um alinhamento melhor das áreas de negócios, derrubando de forma efetiva as barreiras entre TI e outros departamentos.
  • Investimento em qualificação: as empresas líderes estão usando três vezes mais a aprendizagem prática do que os últimos colocados do ranking: 73% contra 24%. A IA e analytics avançados são usados por 87% das líderes em áreas como aprendizado personalizado, previsão das necessidades de qualificação dos trabalhadores e correspondência dos requisitos de habilidades dos colaboradores com os módulos de treinamento. Entre os últimos colocados na pesquisa, este número chega a apenas 35%.