Home  >  Plataformas

LinkedIn publica 80 mil vagas inexistentes ligadas a uma única empresa

Segundo rede social, publicação se deu devido a um erro técnico ao replicar vagas do site InfoJobs

Da Redação

04/10/2019 às 17h00

Foto: Shutterstock

Um suposto erro que afetou o LinkedIn fez a rede social corporativa divulgar cerca de 80 mil vagas de uma única empresa. O problema? Elas não existiam. A divulgação das vagas teria sido um erro técnico do LinkedIn ao replicar posições da plataforma de empregos InfoJobs. No caso desta plataforma, as vagas eram referentes a diversas empresas, mas no LinkedIn todas estavam creditadas ao Grupo Tejofran. As informações são do Extra.

Em comunicado, o LinkedIn informa que a questão já foi resolvida. A rede social diz que é prática recorrente publicar vagas de outros sites de emprego e que possui recursos para monitorar erros.

"Temos como prática replicar vagas de outros de sites de emprego para garantir que nossos usuários nunca percam uma oportunidade. Nossa equipe detectou um problema técnico na publicação dessas vagas e a questão já foi resolvida. O LinkedIn possui recursos de monitoramento e um time dedicado para evitar que casos similares se repitam. Levamos assuntos como esse muito a sério e investimos continuamente em ferramentas e medidas apropriadas para preveni-los."

Já a InfoJobs informa que as vagas publicadas em seu site eram verdadeiras e que, quando notou o erro no LinkedIn, solicitou a remoção do conteúdo.

"As vagas publicadas podem ser compartilhadas em redes sociais ou sites agregadores para aumentar a visibilidade da oportunidade. Nesse caso, identificamos um problema e solicitamos a remoção imediata das vagas. Apesar da questão já ter sido resolvida, continuaremos investigando a origem das publicações para que medidas apropriadas sejam tomadas e evitarmos casos similares. Temos um compromisso com a ética e respeitamos incondicionalmente nossos clientes e candidatos. Portanto, reiteramos que as vagas publicadas no site InfoJobs são verdadeiras. As empresas anunciantes passam por uma análise de qualidade dedicada e, caso as informações não sejam compatíveis, são bloqueadas”, comunicou o InfoJobs.

Já o Grupo Tejofran, que oferece serviços de terceirização, publicou nota no próprio LinkedIn alertando sobre as vagas falsas e disse que as únicas verdadeiras eram aquelas publicadas na própria linha do tempo.