Home  >  Plataformas

Venezuela possui bitcoins, mas não sabe o que fazer com criptomoeda

Segundo Bloomberg, Banco Central do país estuda como armazenar e transacionar moedas digitais a pedido de estatal

Da Redação

01/10/2019 às 10h00

Foto: Shutterstock

O Banco Central da Venezuela estaria estudando como armazenar criptomoedas, segundo informações da Bloomberg que cita quatro fontes próximas ao assunto. De acordo com a reportagem, tal movimento visa atender um pedido da estatal de petróleo e gás natural Petroleos de Venezuela (PSDV), que quer enviar Bitcoin e Ethereum ao banco central para que este possa pagar fornecedores com as moedas digitais.

A PSDV não saberia, entretanto, como gerenciar seus ativos digitais da maneira eficiente e por esse motivo, enviou as criptomoedas para o Banco Central da Venezuela. Porém, o próprio Banco Central daquele país tampouco saberia o que fazer com os ativos.

O país latino americano também estaria considerando adicionar as criptomoedas às suas reservas internacionais, que estão em declínio. Ao mesmo tempo, moedas como bitcoin e ethereum poderiam ser uma forma da Venezuela contornar as sanções impostas pelos EUA, que isolou o país do sistema financeiro global.

A reportagem destaca que não se sabe como a PDVSA acumulou as moedas, assim como o valor acumulado. A petroleira estatal tem enfrentado dificuldades para receber de clientes por canais convencionais, porque grandes bancos hesitam em negociar com uma entidade sob sanções, diz a Bloomberg.