Home  >  Negócios

Green4T compra Scipopulis e expande portfólio de ofertas para smart cities

Juntas, empresas conseguirão oferecer soluções 360º para clientes públicos

Mônica Wanderley

27/09/2019 às 14h02

Foto: Divulgação/green4T

No início de agosto a Green4T, do ramo de infraestrutura digital, anunciou seu primeiro investimento em venture capital na Scipopulis, conhecida por sua sua experiência na análise de dados complexos para cidades inteligentes e soluções de mobilidade urbana.

Em evento recente, a companhia detalhou a forma sua nova estratégia de atuação com a nova marca — avaliada em aproximadamente R$11,5 milhões durante a transação  — e de qual forma será possível oferecer soluções mais completas nos projetos desenvolvidos para o setor público.

 

Infraestrutura  & Inteligência

De acordo Pascal Toque, Diretor de IoT & IoC Solutions da green4T, a companhia percebeu que além dos serviços que já disponibilizava, envolvendo a parte de hardware, era cada vez maior a demanda dos clientes por soluções que entregassem conhecimento a partir do estudo dos dados gerados. E, com isso, não conseguia oferecer soluções necessárias para uma gestão eficiente dos dados.

“De fato, não estávamos cobrindo essa visão de inteligência, de ter a capacidade de analisar os dados disponíveis para suportar os processos de decisão dentro de uma operação estratégica”. Toque também explica que a companhia já havia trabalhado com a Scipopulis e, após uma análise do mercado, a companhia chegou à conclusão de que as soluções da nova marca “casariam” perfeitamente com as necessidades da marca.

 

Aplicação na prática

O diretor dá um exemplo de projeto que, com a integração, será possível oferecer aos clientes. Caso uma prefeitura que já tenha a solução de data centers da green4T deseje trazer mais inteligência ao processo, agora é possível oferecer uma plataforma de integração para consolidar e cruzar dados. Com o histórico de informações como locais de ocorrências de crime e tipos de crime realizados em cada região da cidade, será possível realizar  um planejamento das intervenções de segurança pública com mais chances de reduzir a criminalidade.

De acordo com Eduardo Marini, CEO da green4T, a junção entre a parte físicas e analítica é um caminho sem volta para quem deseja se manter competitivo. “Não tem conceito [de transformação] que exista sem uma estrutura adequada e uma camada de inteligência que sequencie e analise as informações e coloque todas as informações em um display que permita aos gerentes tomar uma decisão. E foi por isso que buscamos essa combinação. Ouso dizer que não existe no Brasil outra empresa que consiga ser tão completa”

Integração em projetos

Fundada em 2014, a Scipopulis é uma startup especializada em analisar dados desestruturados do sistema de transporte e, com base nas informações, obtém dados como demandas sobre a rede de transporte, problemas de operação, acidentes e avaliação do serviço prestado.

Ela foi selecionada na edição 2018 como uma das “100 Startups to Watch", da revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, e tem dentro do seu portfólio projetos como o Painel do Ônibus, tecnologia que funciona na cidade de São Paulo que mostra a velocidade em tempo real dos ônibus em qualquer via.

Roberto Speicys, sócio-diretor e CEO da Scipopulis, explica que em muitos casos a companhia chegava com a solução de gestão dentro de uma estrutura já montada, o que a obrigava a fazer várias adaptações que poderiam impactar no resultado final. Agora integrada à green4T, a companhia também vê um ganho significativo de operacionalidade da sua solução.

“Com a ajuda da ‘green’, a gente consegue entrar no projeto desde o começo e aí já integrar a nossa solução num projeto completo d o que entrar depois com os sistemas já instalados e ter que fazer ajustes.”

 

Perspectivas

Falando sobre estimativas de negócios, as expectativas de Marini estão altas.“ A área de comando e controle, como é chamado esse setor de monitoramento e análise de dados público, já é um negócio real dentro da nossa empresa. Antes da Scipopulis, esse setor já gerava cerca de R$ 100 milhões ao ano. Para o futuro, a gente vê bem mais do que isso. Se pensarmos em pipeline, é um negócio com potencial para gerar R$ 1 bilhão.”

Fundada em 2016, a green4T conta atualmente com  700 colaboradores no Brasil e atua em 8 países da América Latina. No início do ano, anunciou a compra da Aceco TI para reforçar seu posicionamento no setor de infraestrutura crítica de TI.