Home  >  Negócios

Em meio à crise de imagem, Adam Neumann deixa cargo de CEO da WeWork

Liderança do executivo foi questionada após empresa postergar IPO; Neumann permanece no conselho da empresa, mas concordou em diminuir influência

Da Redação

25/09/2019 às 17h34

Foto: Shutterstock

Uma das startups com maior destaque no mercado, a WeWork acabou queimando seu filme por, em meio a dúvidas de investidores sobre sua sustentabilidade e resultados financeiros não tão bons, ter atrasado para uma data indefinida sua abertura de mercado, que deveria acontecer nos próximos dias. E o impacto desse balde de água fria já é sentido nos corredores da firma.

Nesta semana, a empresa anunciou que Adam Neumann, cofundador e até então diretor-executivo da firma, se retirou na terça (24) do cargo de CEO da empresa. Em seu lugar, assume Artie Minson, atual CFO da empresa de coworkings.

Caos no escritório

De acordo com a Reuters, a companhia chegou à essa decisão após reunião com investidores. O SoftBank, principal investidor da empresa, teria votado a favor da saída de Neumann do posto.

A crise enfrentada pelo WeWork se deve aos vários questionamentos que ela vem enfrentando sobre sua capacidade de gerar lucro e modelos de governança corporativa. Tantos questionamentos fizeram a empresa, que já estava anunciando seu IPO, anunciar que a abertura de capital está suspensa por tempo indeterminado.

Mesmo não sendo CEO, o executivo permanece no cargo de chairman do conselho e pode tomar decisões estratégicas para a marca. Neumann também aceitou diminuir o poder de suas ações com direito a voto, perdendo o controle majoritário de votação.