Home  >  Plataformas

Oracle aposta todas as fichas em automação da nuvem

Durante Oracle OpenWorld, mensagem que a empresa busca transmitir é: Oracle agora é uma importante participante do mercado de aplicativos em nuvem

Peter Sayer, CIO (EUA)

19/09/2019 às 16h39

Foto: Shutterstock

Durante o OpenWorld 2019, a Oracle prometeu diversas novidades, como automação na nuvem e assistentes digitais como parte de um esforço mais amplo para incorporar tecnologias de inteligência artificial.

Entre os novos recursos prometidos estão as ferramentas de monetização da Internet das Coisas, para que as empresas possam permitir que os clientes façam pagamentos com base no uso; o Oracle Business Network, que facilitará o comércio com empresas que também são clientes da Oracle; Integração do LinkedIn para recrutadores e equipe de RH; e integrações mais profundas com a plataforma CX Unity da Oracle para rastrear clientes on e offline.

Mas se há uma mensagem central que a empresa espera transmitir nesta semana, é que a Oracle agora é uma importante participante do mercado de aplicativos em nuvem. "Agora temos muitos clientes de sucesso, muitos dos quais falarão na conferência sobre seu sucesso, em nossa nuvem", disse Steve Miranda, vice-presidente executivo de aplicativos da Oracle. Segundo o executivo, empresas de todas os portes poderão se beneficiar das soluções.

Automação para pessoas

A automação é uma das áreas em que a empresa está impulsionando a IA. O Oracle Autonomous Database usa a IA para executar grande parte do provisionamento, aplicação de patches e gerenciamento de desempenho anteriormente realizado pelos administradores, e agora a empresa está procurando outras tarefas que pode automatizar.

O Oracle ERP Cloud, por exemplo, ganhará novos recursos inteligentes de reconhecimento de documentos que podem ajudar a eliminar a entrada manual de faturas, adaptando-se às alterações nos formatos de documentos ao longo do tempo.

Um novo recurso de planejamento preditivo no Enterprise Performance Management (EPM) Cloud visa ajudar os clientes a identificar padrões em dados financeiros, fornecendo previsões no tempo de carregamento de dados e permitindo revisões de plano em tempo real.

Quanto aos assistentes digitais, eles permitirão que os clientes da Oracle e também os seus próprios clientes interajam com aplicativos na nuvem por meio de chat por texto ou voz. Dessa forma, os usuários poderão interagir com os seus aplicativos, em vez de vasculhar menus em busca de informações. “Os assistentes digitais e a interface do usuário conversacional vão transformar a maneira como interagimos com esses aplicativos e tornar as coisas muito mais fáceis de lidar”, declarou Miranda.

Esses assistentes também permitirão que os gerentes da cadeia de suprimentos verifiquem o status da entrega, rastreiem desvios e relatem incidentes. O objetivo da Oracle é permitir a análise da causa dos problemas da cadeia por meio da interface de chat. No setor de RH, o Oracle HCM Cloud conversará com os funcionários sobre integração e acesso às suas avaliações de desempenho, enquanto a equipe de vendas poderá configurar cotações usando comandos de voz.

R. “Ray” Wang, fundador e principal analista da Constellation Research, afirma que o esforço da Oracle para inserir a IA em todos os seus aplicativos está valendo a pena. “É mais do que apenas o chatbot. É a melhoria de desempenho a longo prazo dos ciclos de feedback. Pense nos assistentes digitais, além do reconhecimento inteligente de documentos e planejamento preditivo como todas as ferramentas para ajudar a impulsionar mais automação e decisões aprimoradas em aplicativos corporativos.”

Oracle Business Network

Além do seu assistente digital, a Oracle tem outros planos para simplificar as operações para os gerentes da cadeia de suprimentos - ou pelo menos para aqueles que desejam negociar com outros clientes da Oracle. Seus aplicativos em nuvem já permitem que compradores e fornecedores se conectem através de redes de terceiros como Transcepta (faturamento) ou Justransform (logística) - e o Oracle SCM Cloud em breve incluirá seu próprio diretório de parceiros comerciais conectados, o Oracle Business Network.

"Essas redes fornecem sinais de demanda importantes que atendem a outros requisitos de IA para redes comerciais. Todo comprador será um vendedor e todo vendedor se tornará um comprador. Este é o núcleo das redes globais”, observou Wang.

Para tornar sua rede mais atraente, a Oracle planeja integrar o DataFox, o mecanismo de busca e agregador de informações de negócios que adquiriu em outubro de 2018. Isso, segundo Wang, ajudará os clientes a reduzir o risco associado aos parceiros comerciais.

Gerenciamento de dados do cliente

A Oracle também está reunindo conjuntos de dados para o gerenciamento da experiência do cliente. O Oracle CX Unity, a plataforma de gerenciamento de dados de clientes anunciada no OpenWorld 2018, obterá mais integrações com fontes de dados online, offline e de terceiros, permitindo que essas informações sejam exploradas em todo o pacote Oracle CX Cloud.