Home  >  Negócios

CEO da Disney deixa conselho da Apple por possíveis conflitos em streaming

No conselho da Disney há oito anos, Bob Iger oficializou saída no mesmo dia que Apple anunciou preço e data de lançamento do Apple TV+

Da Redação

17/09/2019 às 10h33

Foto: Shutterstock

O CEO da Disney, Bob Iger, deixou o conselho de diretores da Apple. A saída de Iger coincide com os esforços da Apple no mercado de streaming, uma indústria emergente da qual a Disney notadamente tem investido. O lançamento do Disney+ acontece em novembro próximo e irá competir diretamente com o Apple TV+, previsto para ser lançado pela gigante de Cupertino em 1º de novembro.

Iger deixa o conselho após oito anos. Segundo informações da CNBC, sua saída foi oficializada no dia 10 de setembro, dia em que a Apple anunciou o preço e a data de lançamento para o seu serviço que vem também para competir com a Netflix, HBO Go e Amazon Prime Video.

“Tem sido um extraordinário privilégio servir ao conselho da Apple nestes oito anos e eu tenho o maior respeito por Tim Cook, sua equipe na Apple e por meus colegas de conselho”, disse Iger em comunicado. “A Apple é uma das empresas mais admiradas, conhecida pela qualidade e integridade de seus produtos e pessoas e eu serei eternamente grato por ter servido como um membro do conselho da companhia”, completou.

Em comunicado, a Apple agradeceu Iger e comentou sua saída: “Desde que liderou a Disney, ele foi um dos parceiros comerciais mais confiáveis da Apple. Ele é um CEO visionário dedicado e um modelo para toda uma geração de líderes de negócios. Mais do que tudo, Bob é nosso amigo. Ele lidera com o coração e sempre foi generoso com seu tempo e conselhos. Embora sentiremos muita falta de suas contribuições como membro do conselho, respeitamos sua decisão e temos toda a expectativa de que nosso relacionamento com Bob e a Disney continue no futuro”.

Iger assumiu a posição de CEO da Disney em 2005, assim como presidente do conselho da companhia. Como lembra a CNBC, o executivo era amigo pessoal do cofundador da Apple, Steve Jobs. Vale lembrar que a Disney adquiriu a Pixar, em 2006, o renomado estúdio de animação que foi comprado por Jobs ainda em 1986. Jobs se manteve no conselho da Disney até sua morte em 2011 e teria pedido a Iger para assumir o seu lugar no conselho da Apple quando ele morreu, segundo informou a Fortune.