Home  >  Negócios

Em nova fase, Volkswagen quer cortar custos e focar em carros elétricos

Sob comando de Herbert Diess, montadora repagina antiga estratégia para se adequar às demandas de um mercado mais sustentável

Da Redação

16/09/2019 às 17h31

Foto: Shutterstock

Durante anos orientada a priorizar a engenharia dos seus veículos sem se importar com preços, a Volkswagen anunciou durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, um novo posicionamento, orientado para o corte de custos e soluções que permitam a fabricação em massa de carros elétricos.

Atualmente, a empresa investe cerca de US$ 85 bilhões na compra de células de bateria e desenvolvimento de veículos verdes, além de uma parceria com a Ford dentro do setor de carros autônomos. As ações estão sendo realizadas com o objetivo de reduzir custos operacionais e aumentar o valor das ações.

Novo caminho

O movimento chama a atenção porque marca uma guinada dentro da estratégia de negócios da marca.  Entre os anos de 1993 a 2015, boa parte das decisões da Volkswagen eram orientadas por Ferdinand Piëch, que assumiu posições de chefia dentro da firma e tinha como objetivo construir automóveis com excelência em engenharia, mesmo que à custo das margens de lucro.

Agora gerida por Herbert Diess, a fabricante mudou totalmente seu foco e busca um equilíbrio entre um veículo com custo benefício ao cliente e que também seja lucrativo para a empresa. “A experiência do produto precisa ser a melhor possível. Mas precisamos monitorar os custos. Não é possível comandar um negócio tendo apenas o produto como foco”, foi a explicação do CEO em entrevista à Reuters.

Utilitário na pista e nos negócios

Dentro dessa nova configuração, a companhia está vendendo unidades de negócio que não considera estratégicas, como a MAN Energy Solutions, a fabricante de caminhões Traton e a fabricante de rolamentos Renk.

Além disso, a firma tem em vista um plano agressivo de redução de poluentes imposto pela União Europeia: até 2030, todas as fabricantes automotivas precisam reduzir as emissões de dióxido de carbono em 77,5%, comparado com o nível encontrado nas nações em 2007.

Para se adaptar ao novo mercado, a empresa está investindo em veículos elétricos e na reformulação de veículos de seu extenso portfólio, que conta com marcas como Bugatti, Lamborghini e Porsche, além dos veículos da VM.