Home  >  Carreira

Quanto ganha um engenheiro de software e um cientista de dados no Nubank?

Startup foi eleita pela segunda vez como uma das mais desejadas para se trabalhar no Brasil. Fintech está com vagas abertas

Da Redação

09/09/2019 às 18h50

Foto: Shutterstock

O Nubank, fintech que alcançou o patamar de decacórnio (quando o valor de mercado supera US$ 10 bilhões), é a startup  que os brasileiros mais almejam trabalhar, segundo uma pesquisa recente do LinkedIn. A empresa, inclusive, conquistou o título pelo segundo ano consecutivo.

Mas, afinal, o que faz da startup um lugar disputado entre talentos de tecnologia? Para Renee Maudin, CPO da empresa, a autonomia dada aos funcionários é um dos motivos. "Mais do que a tecnologia, nossa cultura e as pessoas são os verdadeiros responsáveis por trazer o Nubank até aqui", afirmou o executivo em comunicado.

A autonomia é reforçada pelas avaliações da companhia no site de empregos Glassdoor. "Bastante autonomia em decisões e também na rotina de trabalho, liberdade para experimentar e aprender com erros, diversas oportunidades de crescimento e de aprender", escreve um dos profissionais em postagem anônima.  No mesmo site, 96% dos funcionários afirmam que recomendariam a empresa a um amigo para trabalhar.

Em julho deste ano, pouco após receber aporte de US$ 400 milhões, o Nubank anunciou planos de contratar 1 mil novos profissionais ao longo de um ano. A maior parte desses novos colaboradores será para as operações no Brasil. À Computerworld Brasil, a empresa informou que boa parte dessas contratações será de engenheiros de softwares, cientistas de dados, especialistas de marketing e produto.

Na lista abaixo, confira a média de salários pagos no Nubank e publicados no site Glassdoor:

Cientista de dados - R$ 17.966

Engenheiro de software  - R$ 10.334

Product Manager - R$ 11.305

Business Architect - R$ 11.099

Brand Manager - R$ 9.602

Business Analyst - R$ 7.200 reais

Estagiário - R$ 2.653

Para se candidatar as vagas do Nubank, você pode acessar á area de Carreiras da fintech.