Home  > 

Apple contesta falhas de segurança no iOS apontadas pelo Google

Da Redação

09/09/2019 às 20h53

Foto: Shutterstock

Na semana passada, a equipe de pesquisa de segurança do Project Zero, do Google, anunciou a descoberta de uma vulnerabilidade no iOS. A falha permitia que sites maliciosos instalassem códigos capazes de monitorar determinadas atividades nos iPhones. Com a chegada do iOS 12.4.1, no entanto, as vulnerabilidades foram corrigidas.

Após o relatório do Google, a Apple emitiu uma declaração em resposta, afirmando que os pesquisadores deturparam a falha de segurança e a forma como foi explorada. De acordo com a companhia de Cupertino, o relatório foi enganoso por dois motivos: o primeiro, porque o ataque não foi em massa, e sim direcionado a uma pequena comunidade chinesa. O segundo, porque o relatório dava a impressão de que os iPhones estavam vulneráveis há dois anos, quando, na verdade, os sites maliciosos estavam em operação há apenas dois meses.

"A segurança é uma jornada sem fim e nossos clientes podem ter certeza de que estamos trabalhando para eles. A segurança do iOS é incomparável, porque assumimos a responsabilidade total pela segurança do nosso hardware e software. Nossas equipes de segurança de produtos em todo o mundo estão constantemente interagindo para introduzir novas proteções e corrigir vulnerabilidades assim que são encontradas. Nunca interromperemos nosso trabalho incansável para manter nossos usuários seguros", declarou a Apple.

Ainda conforme explicitado pela companhia, as correções foram feitas dentro de 10 dias após o reconhecimento das ameaças. "Quando a Google nos abordou, já estávamos no processo de corrigir os bugs explorados", acrescentou. "Independentemente da escala do ataque, levamos a segurança de todos os usuários muito a sério", concluiu a Apple.

 

Deixe uma resposta