Home  >  Negócios

Mais longe do pódio: Google perde lugar no ranking de smart speakers

A chinesa Baidu assumiu o segundo lugar; apesar de operar apenas no país-natal, marca registrou crescimento de 3.700%

Da Redação

27/08/2019 às 19h47

Foto: Shutterstock

Legenda:

O relatório divulgado pela consultoria Canalys apresentou uma mudança no panorama de vendas de smarts speakers: de acordo com os dados da firma, a companhia chinesa Baidu ultrapassou a Google na venda dos equipamentos entre abril e junho, comercializando 4,5 milhões de unidades contra as 4,3 milhões realizadas pela companhia de Mountain View.

O crescimento da marca chinesa é digno de nota: segundo dados da própria Canalys, a firma comercializou em todo 2018 cerca de 100 mil unidades. Comparando com os dados obtidos até o meio desse ano, o crescimento foi de 3.700%. Parte desse sucesso se deve à adoção do seu software em hardwares da Xiaomi e um desempenho superior na venda de smart displays.

Dona da voz

Voltando ao ranking: enquanto o segundo lugar se encontra disputado, a Amazon aparece com folga na primeira posição, tendo vendido 6,6 milhões de unidades no segundo trimestre desse ano.

Alibaba (4,1 milhões de vendas) e Xiaomi (2,8 milhões) aparecem em quarto e quinto lugar, respectivamente. A Apple e seu HomePod ficou na categoria "Outros", que soma os demais concorrentes que não tiveram vendas expressivas. Em conjunto, foram responsáveis por 3,7 milhões de compras.

No total, foram vendidos 26,1 milhões de smart speakers globalmente, um aumento de 55% em comparação com o segundo trimestre do ano passado.

Cada um no seu mercado

Apesar do crescimento significativo da Baidu, sua presença no ranking não afeta diretamente Google e Amazon porque ela opera unicamente na China: um mercado no qual as marcas já não têm um market share estabelecido.

Com as vendas de speakers apresentando declínio nos EUA (o que era de se esperar, após uma onda imensa de compras), ambas as marcas estão investindo no mercado estrangeiro. Segundo a Canalys, pelo menos 50% dos alto-falantes vendidos por Amazon e Google foram despachados para outros países.

Ainda, de acordo com a consultoria, os atuais desafios das marcas estão na criação de equipamentos mais complexos e no desenvolvimento de produtos que aproveitem melhor o potencial de smart displays integrados com comandos de voz.