Home  >  Plataformas

AMD sai à frente da Intel com lançamento da 2ª geração do EPYC ‘Rome’

"É isso que chamo de mudar o jogo", disse CEO Lisa Su; Processadores em 7 nm podem se desdobrar em até 64 núcleos e 128 threads

Por Carla Matsu*

08/08/2019 às 2h36

Foto: Carla Matsu

A AMD deu um grande passo nesta quarta-feira (7/8) ao lançar a aguardada segunda geração de seus processadores para data center, o EPYC "Rome". O lançamento acontece dois anos após a introdução do EPYC “Naples" e três meses após a Intel lançar comercialmente a segunda geração dos processadores Xeon de 14 nm e apenas há dois dias da mesma Intel se adiantar para revelar que disponibilizará - em 2020 - processadores escalonáveis em até 56 núcleos com a família Cooper Lake 14 nm.

O timing para a AMD, portanto, não poderia ter sido melhor. A segunda geração do EPYC pode se desdobrar em até 64 núcleos, 128 threads e o processo de manufatura utilizado aqui é baseado em 7 nm, com fabricação da taiwanesa TSMC. Uma orquestração que, segundo a CEO da AMD, Lisa Su, confere ao EPYC um "novo padrão para o data center moderno”, sustentando um aumento de performance e eficiência que promete cortar os custos do data center pela metade.

Para atestar sua afirmação, Su e outros executivos da AMD subiram ao palco durante a conferência "AMD EPYC", realizada em San Francisco (CA), evocando uma série de recordes mundiais - no total 80 deles -, colocando a Intel, em sucessivas comparações de benchmarking. Segundo a AMD, o novo EPYC supera a rival em aplicações, fluxos de trabalho em High Performance Computing e em serviços de nuvem. Como exemplo citado, o novo EPYC 7742 mostrou performance 84% superior ao Xeon Platinum 8280L da Intel, lançado em abril. "Nós quase dobramos a performance da Intel. É isso que eu chamo de mudar o jogo”, destacou Su.

Outra comparação que a AMD gostou de frisar nesta quarta-feira vai direto ao preço - o novo topo de linha EPYC é listado a menos de US$ 7 mil, enquanto um Xeon 8280M está listado em cerca de US$ 13 mil. Segundo a AMD, o seu processador, com 64 núcleos, supera em quatro vezes a performance da Intel. A fabricante de Santa Clara também reivindica que o novo "Rome" é até 34% mais eficiente em termos de energia do que o Intel Xeon.

Para além das comparações, um dos grandes destaques que sustentam a alta performance do EPYC Rome se encontra no seu processo de manufatura de 7 nanômetros. É o melhor que a indústria pode oferecer hoje, uma arquitetura que permite capacidades computacionais mais densas com menor consumo de energia. Tal arquitetura permitiu a AMD dobrar o número de núcleos e threads nas CPUs 7002, enquanto mantém alta velocidade por clock. Comparada à primeira geração do EPYC fabricado em 14 nm, a nova geração consegue, segundo a fabricante mais que dobrar a performance.

Parcerias

O lançamento do EPYC “Rome” também foi marcado pelo anúncio de um amplo ecossistema de parceiros: mais de 60 plataformas de servidores (incluindo Mellanox, Microsoft, Vmware, Cray, Dell EMC, Micron, Lenovo, HPE e Samsung) e 50 instâncias de cloud que já rodam o novo EPYC, com o Google Cloud sendo um dos destaques anunciados. O Google começou a usar a nova geração do EPYC em seus data centers e levará para seus servidores que suportam serviços na nuvem. "Nós já estamos vendo uma ótima performance de uma variedade de workloads", destacou Bart Sano, vice-presidente de engenharia do Google durante o anúncio

O Twitter também anunciou que irá implementar o EPYC Rome através de sua infraestrutura até o final do ano, algo que reduzirá o chamado TCO (total cost of ownership) em 25%.

Segurança

Preocupações com segurança também foram destacadas pela AMD nesta quarta, tendo em vista a sombra que o Spectre e Meltdown deixaram na indústria. Segundo a AMD, na nova geração do EPYC, a segurança é incorporada no nível do subsistema, com recursos como Secure Memory Encryption e Secure Encrypted Virtualization integrados.

Antes de finalizar o keynote, Su reforçou um recado para o mercado em que a AMD entrou há dois anos com a primeira geração do EPYC. "Nós estamos apenas começando". “O que você pode esperar de nós é consistência. Não é apenas uma geração. Trata-se de construir um roteiro multi-geracional", afirmou a executiva indicando que a companhia já trabalha no desenho das próximas gerações do EPYC.

*IT Trends viajou a San Francisco a convite da AMD