Home  >  Plataformas

4 razões para provedores de serviços gerenciados em nuvem serem essenciais

Em artigo, especialista aponta razões para os chamados Managed Cloud Service Provider serem muitas vezes a melhor escolha no mercado de TI

Danny Allan*

07/08/2019 às 11h00

Foto: Shutterstock

Legenda:

O surgimento e sucesso da nuvem na última década é inquestionável. É praticamente impossível ler qualquer publicação de TI atual que não cubra seu crescimento, sua inovação e os casos de sucesso habilitados por ela. E para a maioria, a palavra “nuvem” é sinônimo de Amazon Web Services, Microsoft Azure e Google. Isso faz sentido, já que são os provedores mais reconhecidos e bem-sucedidos na nuvem pública. No entanto, esses três líderes do setor não estão destinados a dominar completamente o mercado. Há várias razões para os Managed Cloud Service Provider (MCSP) serem essenciais e, muitas vezes, a melhor escolha para uma maioria significativa do mercado de TI.

A infraestrutura de nuvem pública requer conhecimentos específicos

Muitas organizações têm a falsa premissa de que podem simplesmente pegar a infraestrutura local e transferi-la para a nuvem pública. Embora isso seja feito diversas vezes, a realidade é que alguns elementos, como planos de controle, rede e segurança, são diferentes o suficiente para que alguns desafios surjam rapidamente. Escolher um MCSP ajuda de duas maneiras: o ambiente do serviço hospedado pode espelhar o ambiente on-premise, ou um serviço gerenciado pode intermediar a nuvem pública e introduzir o conhecimento necessário para integrar dois ambientes diferentes. Em um ecossistema onde o tempo de oferta é uma vantagem competitiva essencial, esse valor não pode ser subestimado. De fato, é muito provável que a comunidade MCSP evolua para uma intermediação de linha de frente das nuvens públicas de alta escala, ao mesmo tempo em que facilita e gerencia o ambiente de transição e híbrido.

A economia da nuvem precisa ser gerenciada com eficiência

"A nuvem não é uma instituição de caridade" é uma das minhas declarações favoritas. A capacidade da nuvem de gerar lucro baseia-se na capacidade de criar uma camada em sua margem. Embora a nuvem pública possa ser muito eficaz para cargas de trabalho elásticas com alto grau de variação, colocando-as em um local remoto ou aproveitando um serviço pré-configurado, elas podem ser significativamente menos econômicas para workloads estáticos com necessidades de infraestrutura previsíveis. Como as várias nuvens públicas competem pelo domínio do mercado e os clientes escolhem quais cargas de trabalho são mais adequadas aos benefícios da nuvem pública, os MCSPs oferecem a capacidade de abstrair a carga de trabalho da nuvem pública, monitorando de perto as características de custo e transferindo dados e serviços no ROI do cliente. Esse é um valor distinto e definido que a maioria dos clientes não consegue medir e reconhecer.

Muitos serviços oferecem uma experiência superior para o usuário final em um modelo descentralizado

Existe uma verdade simples no ecossistema de TI: questões de rede. As organizações geralmente descobrem que dois dos fatores limitantes em uma oferta de serviço são o tamanho da banda larga e a latência entre a oferta de serviço e o usuário. Embora às vezes seja possível aumentar o tamanho da banda, não é possível acelerar a velocidade da luz. Esses dois fatores limitantes têm um impacto absoluto nos serviços e levaram à criação de categorias inteiras de tecnologia, como as Redes de Distribuição de Conteúdo (CDNs). Se fosse possível enviar dados de alguns nós de distribuição centralizados em hiperescala, não haveria necessidade de um CDN. As CDNs prosperaram e continuam a evoluindo. Por quê? Questões de rede e modelos descentralizados podem oferecer uma experiência superior.

Muitas das nuvens públicas de hiperescala reconheceram isso e incluem ofertas que colocam pequenas quantias de computação na ponta - no data center do cliente ou em um local do parceiro regional. Embora isso forneça a oportunidade de melhorar a prestação de serviços, o modelo de negócios da nuvem pública de hiperescala não está alinhado com redes descentralizadas, à medida em que tentam alavancar economias de escala para manter os preços baixos. Isso deixa uma oportunidade para o MCSP adicionar infraestrutura em um modelo descentralizado, acoplado a serviços de uma nuvem pública central.

Os clientes devem se concentrar em seu core business

Por último, o declínio de muitas organizações é frequentemente a falta de foco. Elas tentam gerenciar e executar muitas coisas simultaneamente. Ao associar-se a um MCSP, elas geralmente conseguem melhores resultados, liberando recursos internos preciosos para se concentrarem nas principais tarefas de negócios. Tem sido amplamente reconhecido que muitas funções de TI, como serviços de e-mail e comunicação, são frequentemente entregues por meio de um parceiro confiável, e estender esse modelo para os serviços de infraestrutura e plataforma faz sentido para os negócios. O parceiro do MCSP é capaz de fornecer essa habilidade, enquanto o negócio é livre para se concentrar em seu core business.

É claro que a indústria está passando por uma transformação com a adoção do cloud. No entanto, seria um erro acreditar que o resultado líquido dessa transformação é de que as organizações devem considerar apenas os principais provedores de nuvem pública. Um parceiro confiável de MCSP que entende seu negócio geralmente é a escolha mais inteligente nessa evolução da nuvem.

*Danny Allan é VP de Estratégia de Produtos da Veeam