Home  >  Negócios

3 razões pelas quais a Apple pode comprar divisão de chips mobile da Intel

Para além do iPhone, há outros pontos que poderiam atrair a empresa de Cupertino a fechar aquisição de unidade da fabricante de chips

Michael Simon, PC World/EUA

24/07/2019 às 18h00

Foto: Shutterstock

A corrida para o 5G pode ter acabado de ganhar uma nova pista. Segundo uma reportagem publicada nesta semana pelo Wall Street Journal, a Apple e a Intel possuem negociações avançadas sobre a venda da divisão de chips de modems de smartphones da segunda.

A troca de propriedade intelectual entre as mãos de gigantes do mercado de TI não é exatamente algo que abala o segmento, mas esse é um negócio que pode ter ramificações significativas. Há apenas três meses, a Apple e a Intel eram parceiras no desenvolvimento do modem 5G do iPhone, mas essa parceria acabou abruptamente quando a Apple e a Qualcomm fizeram um acordo para resolver uma antiga disputa judicial, ao que se seguiu um anúncio da Intel sobre a sua “intenção de sair do mercado de modems para smartphones 5G e completar a avaliação das oportunidades para modems 4G e 5G em PCs, aparelhos de Internet das Coisas e outros dispositivos centrados em dados”.

Essa avaliação aparentemente levou a uma venda, o que acabou levando ao interesse da Apple, segundo a reportagem do Wall Street Journal. Apesar de não estar inteiramente clara a razão pela qual a Intel decidiu sair do negócio de modem mobile, a sabedoria convencional sugere que seu desenvolvimento de chips não avançou o suficiente.

Então na superfície, poderia parecer que não há nada para comprar, especialmente pelo preço na casa do bilhão de dólares, conforme o WSJ. Mas a Apple não compraria os restos dos modems da Intel. Em vez disso, iria investir em anos de trabalho (e patentes) de uma das maiores fabricantes de semicondutores à medida que busca desenvolver internamente um chip 5G para os próximos iPhones que possa rivalizar com os produtos da Qualcomm. Isso não vai acontecer em breve, uma vez que a Apple e a Qualcomm fecharam um acordo de licenciamento de seis anos no último mês de abril, mas a Apple está jogando um jogo de longo prazo aqui.

Mas apesar de o iPhone ser claramente o principal ímpeto por trás do negócio, não acho que as motivações da Apple estejam limitadas ao smartphone. O 5G parece impactar todos os setores das linhas de produtos da Apple, e adquirir a unidade de chips de modem de smartphones da Intel – mesmo inacabada – pode ter implicações de longo alcance tanto para a Apple quanto para o mercado como um todo.

Apple Watch

Talvez até mais importante do que o trabalho de engenharia seriam as pessoas por trás do trabalho. A reportagem do Wall Street Journal destaca que, além do portfólio de patentes da Intel, a Apple também iria adquirir uma dose de talento da equipe responsável pelo desenvolvimento do chip. Apenas isso poderia valer bilhões de dólares. Não é nenhum segredo que os ativos mais valiosos das empresas de tecnologia são os engenheiros que trabalham para elas, e levar uma equipe pronta de desenvolvedores de chips ao Apple Park para trabalhar no chip A14 e além permitiria que a Apple economizasse anos de contratações e reorganizações.

Mas não é o iPhone que poderia se beneficiar mais de um modem 5G integrado. Uma versão mais eficiente do chip S, que está presente no Appel Watch, é um ponto chave para as futuras gerações do wearable da Apple, especialmente à medida que o 5G se tornar realidade. Com um modem 5G integrado, os chips serão menores e com uso mais eficiente de energia, duas áreas de grande foco para a Apple.

No modelo atual, o modem e o processador principal são entidades separadas e continuarão desta maneira enquanto a empresa continuar comprando seus modems da Qualcomm. A integração é uma das combinações mais fortes da Intel, e será ainda mais importante quando o 5G começar a decolar.

Trolls de patentes

À medida que os aparelhos e smartphones 5G se proliferarem nos próximos anos, também podemos ter certeza que haverá um aumento nos processos judiciais. A Apple, Samsung, Intel e qualquer outra gigante de TI está suscetível aos chamados “trolls de patentes”, empresas que compram patentes com o único objetivo de usá-las para processar outras companhias que possam violá-las.

É impossível dizer quais patentes estão incluídas neste possível negócio, mas você apostar que elas seriam usadas para processos frívolos nas mãos erradas. Não é provavelmente a principal motivação para uma compra por parte da Apple, mas não seria a primeira vez que alguém compraria um pacote de patentes para evitar que elas caiam em mãos erradas.

O próximo Macbook

Apesar de a Apple ainda não ter lançado um notebook com conectividade LTE, isso provavelmente vai mudar com a chegada do 5G. Não é apenas a velocidade – à medida que o sistema iPad OS ganha mais recursos do Mac, provavelmente está a caminho um novo dispositivo que fica entre o iPad Pro e o MacBook Air. Ainda não sabemos como será esse aparelho, mas estou disposto a apostar em duas cosias: ele terá um chip da Apple e vai contar com conectividade 5G.

Provavelmente ainda estamos a anos de ter um aparelho como esse no mercado, e não acho que seja uma coincidência que a suposta compra da divisão da Intel e a aposentadoria do MacBook estejam coincidindo. Em algum momento ao longo dos próximos 3-5 anos, penso que veremos um dispositivo totalmente novo da Apple que vai resolver dois problemas já antigos: a inabilidade do iPad em substituir o Mac, e a falta de uma tela touchscreen no Mac. Com um modem 5G, o próximo MacBook será a melhor máquina para ter na estrada, combinando o poder do Mac com a portabilidade do iPad em um pacote leve e fino, e a divisão de modems da Intel pode ser o que estava faltando para essa bola começar a rolar.