Home  >  Sem Categoria

Huawei ajudou Coreia do Norte a construir rede wireless, segundo jornal

De acordo com The Washington Post, gigante chinesa teria atuado em projetos norte-coreanos de maneira secreta

Da Redação

23/07/2019 às 14h00

Foto: Shutterstock

A Huawei, inserida recentemente em uma espécie de "lista negra" dos EUA devido a preocupações com a segurança nacional, secretamente ajudou a Coreia do Norte a construir e manter sua rede sem fio comercial, segundo uma nova reportagem do The Washington Post.

De acordo com o jornal norte-americano, que cita fontes e documentos confidenciais., a gigante chinesa do mercado de tecnologia e telecom se associou a uma empresa estatal, a Panda Internacional Information Technology Co. Ltd., em diversos projetos na Coreia do Norte durante, pelo menos, oito anos.

O Departamento de Comércio dos EUA vem investigando a Huawei desde 2016 e está analisando se a empresa violou as regras de controle de exportação em relação às sanções contra a Coreia do Norte. Tal medida levantaria questões sobre se a Huawei, que usou a tecnologia dos EUA em seus componentes, violou os controles de exportação norte-americanos para fornecer equipamentos à Coreia do Norte.

Segundo os senadores norte-americanos Chris Van Hollen e Tom Cotton, "a revelação ressalta os laços da Huawei com a Coreia do Norte e suas violações em série da lei dos EUA". Eles identificaram a existência de um projeto tramitando no Congresso com novas "provisões para melhor impor sanções a Pyongyang, deixando claro que qualquer empresa que faça negócios com a Coréia do Norte - como a Huawei teria feito - enfrentará sanções americanas".

Desde maio, a Huawei passou a compor a "lista negra" dos Estados Unidos, o que a impede de negociar com empresas norte-americanas. Apesar disso, no mês passado o presidente Donald Trump autorizou que a retomada das relações em uma tentativa de reiniciar as negociações comerciais com Pequim.

Posição Huawei

A Huawei se pronunciou ao The Washington Post alegando que não tem "presença comercial" na Coreia do Norte.