Home  >  Carreira

Por que os talentos digitais querem sair do Brasil?

Segundo estudo do BCG, 87% dos experts digitais desejam sair do país; EUA, Canadá e Portugal são os destinos preferidos

Luiz Mazetto

16/07/2019 às 18h00

Foto: Shutterstock

Legenda:

O Brasil é um dos países mais propensos à fuga de talentos na área digital, de acordo com um novo estudo feito pelo Boston Consulting Group (BCG) em parceria com a The Network, que entrevistou cerca de 27 mil pessoas em 180 países.

Conforme a pesquisa, os profissionais brasileiros que atuam no segmento estão entre os que mais desejam construir uma carreira no exterior. Isso porque 87% dos experts digitais locais apontam que desejam sair do país, uma porcentagem bem superior à média global, de 67%.

Os Estados Unidos, citados por 63% dos entrevistados, são o destino preferido dos brasileiros, segundo o levantamento, intitulado Decoding Digital Talent. Em seguida, aparecem Canadá, com 51%, Portugal, com 37%, Alemanha, com 34%, e Austrália, com 37%.

Crise e condições de atratividade
Mas por que tantos talentos digitais querem sair do Brasil? A crise econômica que assola há anos o país, atualmente com mais de 13 milhões de desempregados, pode ser apontada como uma das razões para isso, segundo aponta o sócio e Managing Director do BCG, Manuel Luiz.

O especialista também destaca as condições de atratividade da economia digital local como um diferencial neste sentido. “Quando pensamos no que esses profissionais aspiram a fazer, como programação de aplicativos, automação de processos, entrar em empresas novas e dinâmicas, e pensamos no que o Brasil pode oferecer, em comparação com empresas dos EUA e Europa Ocidental, efetivamente há uma oferta e uma sofisticação maior nas economias digitais desses países”, explica, em entrevista à Computerworld Brasil.

Possíveis consequências
E quais as consequências de uma possível saída de talentos digitais do Brasil? Manuel diz que os efeitos podem ser mais negativos no curto prazo e mais positivos no médio prazo. “No curto prazo, caso se materialize essa fuga de talentos digitais, uma vez que o estudo mostra intenção, efetivamente o Brasil será prejudicado e terá algum atraso na sua decolagem, de forma que o gap em relação a outros países continuará sendo alargado.”

Pensando no médio prazo, aponta o diretor do Boston Consulting Group, é possível fazer um paralelo entre a situação atual do Brasil e o que aconteceu há alguns anos na China, que realizou investimentos e hoje possui uma forte atratividade entre os seus talentos digitais.

Para ele, caso o Brasil faça investimentos e consiga criar condições de atratividade localmente, no futuro poderá não apenas reduzir a propensão de saída dos talentos digitais, mas também criar condições para que os talentos que estão saindo hoje possam voltar ao país, mais desenvolvidos e com conhecimento para apoiar o desenvolvimento da economia local.

Em alta na AL
Apesar da porcentagem significativa de talentos digitais brasileiros que querem ir para o exterior, a pesquisa do Boston Consulting Group também revela que o país é bem-visto entre os profissionais digitais de outros países da América Latina. Os estrangeiros que mais têm vontade de trabalhar no mercado digital brasileiro são de Angola (35%), Peru (34%), Argentina (29%), Costa Rica (22%) e Nicarágua (17%), segundo o estudo.

Em meio a um cenário de baixa oferta e alta demanda de talentos digitais qualificados, tentar capturar esses profissionais regionais, aponta Manuel, é algo que poderia dar um empurrão neste momento de largada e representar um movimento interessante para o Brasil.