Home  >  Plataformas

E-commerce dispara e cresce quase 40% no Brasil em um ano

Com isso, aponta pesquisa do PayPal, segmento alcançou a marca de cerca de 930 mil sites; carteiras virtuais estão em mais da metade das lojas

Da Redação

05/07/2019 às 9h00

Foto: Shutterstock

Legenda:

O e-commerce brasileiro registrou no último ano o seu maior crescimento desde 2014, ao registrar um aumento de 37,59% no número de lojas on-line, que alcançaram a marca de 930 mil, de acordo com a nova edição do estudo Perfil do E-commerce Brasileiro, realizado em parceria entre PayPal e BigData Corp.

Como destaca o PayPal em seu comunicado sobre a pesquisa, essa expansão de quase 40% do e-commerce brasileiro acontece após o segment registrar dois anos seguidos de crescimento moderado, de 12,5% em 2017 e de 9,23% em 2016.

Carteiras virtuais
Outro ponto que chama a atenção do estudo é que as chamadas carteiras virtuais já estão presentes em mais da metade dos comércios eletrônicos (50,28%). Essa presença vem, gradualmente, aumentando desde 2015 (ano da primeira edição da pesquisa), quando os meios eletrônicos de pagamento eram opção em 38,09% do e-commerce.

Maior participação
Além disso, o levantamento também revela que o e-commerce praticamente triplicou sua participação no total de sites da web brasileira desde 2015. De lá para cá, as lojas on-line saíram de uma fatia de meros 2,65% para os atuais 7,04%, comprovando sua crescente importância.

Sites pequenos em alta e médios em baixa
Por fim, vale destacar que sites pequenos, com até 10 mil visitas mensais, dominam o setor na atualidade. E, com a entrada de mais de 250 mil novas lojas online no último ano, aumentaram sua participação, de 82,48% para 88,77%.

Por outro lado, os chamados sites médios, que recebem entre 10.001 visitas mensais e 500 mil visitas mensais, viram sua participação cair mais de 7 pontos percentuais no último ano, de 9,99% para 2,58%.

Metodologia
De acordo com o PayPal, a série Perfil do E-Commerce Brasileiro usa o processo de captura de dados da internet da BigData Corp., o qual prevê o processamento de mais de 10 petabytes semanalmente, extraídos de visitas a mais 23 milhões de sites brasileiros, dos quais são obtidos informações estruturadas e seus links.