Home  > 

Snowden usou bitcoin na compra de servidores para vazar informações

Da Redação

28/06/2019 às 17h46

Foto: Shutterstock

Edward Snowden confirmou durante o evento Bitcoin 2019 em San Francisco, realizado na última quarta-feira (26) que usou bitcoin para comprar servidores usados no vazamento de informações sigilosas a jornalistas.

Snowden ficou publicamente conhecido em 2013 quando vazou informações comprometedoras e sigilosas da Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA), da qual é ex-funcionário.

Na época, o vazamento organizado por Snowden revelou diversos programas de vigilância global, a maioria operado pela NSA em parceria com a Five Eyes Intelligence Alliance, empresas de telecomunicações e governos europeus.

Durante sua videoconferência, Snowden elogiou a natureza descentralizada do bitcoin e a liberdade que os usuários fazem transações sem supervisão, o que só é possível com a tecnologia. “Bitcoin é uma moeda livre. Você é capaz de trocar e interagir sem permissão. E quando penso em privacidade, é sobre isso”.

“Não somos vigiados, não estamos em um registro. Essa capacidade de agir sem permissão é a base de todos os direitos”, complementou.

Snowden seguiu dizendo que os governos costumavam a nos observar," mas agora tudo isso acontece com dispositivos pelos quais nós mesmos pagamos. E acrescentou que “e enquanto fazemos isso, a privacidade deixa de ser o status quo e a liberdade deixa de ser o estado natural das coisas”, observou o ativista.

Para Snowden, a associação do bitcoin com o crime é relativa. "Há muito mais criminosos que usam o dólar", afirmou.

Snowden foi acusado de violação do Ato de Espionagem de 1917 e roubo de propriedade do governo, pelo Departamento de Justiça dos EUA no dia 21 de junho de 2013. O ativista recebeu asilo da Rússia e foi a Moscou dois dias depois. Sua visto de residência no país eslavo é válido até 2020.

 

 

Deixe uma resposta