Home  >  Inovação

As empresas brasileiras estão preparadas para a Indústria 4.0?

Segundo estudo da Totvs, as companhias do setor de manufatura do país alcançaram média de 0,52 (de 0 a 1) em novo Índice de Produtividade Tecnológica

Da Redação

27/06/2019 às 9h00

Foto: Shutterstock

Um estudo divulgado nesta semana pela Totvs revela o estágio atual de preparação das empresas brasileiras do setor de manufatura para a chamada Indústria 4.0. Encomendado junto à H2R Pesquisas Avançadas, o levantamento entrevistou um total de 800 profissionais de TI de indústrias instaladas no Brasil (mais sobre a metodologia ao fim do texto) para gerar a primeira edição do Índice de Produtividade Tecnológica (ITP).

O índice em questão, aponta a Totvs, identifica (em uma escala de 0 a 1) o grau de produtividade dos ambientes tecnológicos relacionados ao uso de ERP e de outros sistemas de gestão das indústrias brasileiras para suportar as demandas relacionadas à Indústria 4.0.

E o resultado alcançado pelas empresas brasileiras do setor, com uma média de 0,52 ponto, mostra que elas estão pouco preparadas e ainda tem um longo caminho a percorrer neste sentido, de acordo com a fornecedora brasileira.

Vale destacar que o índice varia ligeiramente de acordo com o tamanho das indústrias; quanto maior a manufatura, melhor o resultado. Desta forma, as companhias de pequeno porte alcançaram uma média de 0,50, as de médio porte com 0,53 e as de grande porte com 0,57.

As companhias de grande porte lideraram a posição chamada de Empresa Destaque, em que a média do ITP ficou entre 0,75 e 1, com 16% delas alcançando esse índice, enquanto que as organizações de pequeno e médio porte tiveram 13%.

Uso de ERP
Além disso, o Índice de Produtividade Tecnológica também revela que há uma alta adoção de soluções de ERP na área financeira. No entanto, o uso dessas ferramentas é disperso em outras áreas das empresas, sendo que apenas 42% da indústrias consultadas no estudo contam com a utilização do sistema completado instalado em seus setores de produção e manutenção.

IoT em baixa
Apesar de ser uma das tecnologias mais comentadas dos últimos anos, a Internet das Coisas (IoT) ainda não está no topo das prioridades para as empresas brasileiras de manufatura, mesmo nas companhias ocupando as melhores posições do IPT. Isso porque somente 7% delas pretendem investir em IoT. Segurança cibernética (35%), modernização de infraestrutura (35%) e soluções na nuvem foram os investimentos mais citados pelas empresas ao serem questionadas sobre a perspectiva de adoção de novas tecnologias.

Metodologia
Segundo a Totvs, o estudo em questão foi realizado entre e maio de 2019 e entrevistou 800 profissionais responsáveis pelas áreas de TI de indústrias instaladas no Brasil, que atuam nos setores de bens de consumo, bens duráveis, metal-mecânica/plástico, têxtil/vestuário, química/reciclagem, extrativismo/beneficiamento e papel/celulose, e que possuem faturamento acima de 5 milhões de reais.