Home  >  Plataformas

Com AI e ML, Cisco quer tornar redes mais inteligentes, simples e seguras

Segundo empresa, novas funcionalidades auxiliam departamentos de TI ao habilitar mais visibilidade, insights melhores e ações direcionadas

Luiz Mazetto, de San Diego*

11/06/2019 às 11h00

Foto: Luiz Mazetto

A Cisco anunciou nesta segunda-feira, 10/6, durante a abertura da sua conferência anual Cisco Live, em San Diego, nos Estados Unidos, o lançamento de soluções de Inteligência Artificial (AI) e Machine Learning (Aprendizado de Máquina/ML) para redes.

Segundo a empresa de San Jose, na Califórnia, as novas funcionalidades citadas acima deixam as redes mais inteligentes, simples e protegidas, auxiliando os departamentos de TI, que precisam lidar com um número cada vez maior de demandas e um nível cada vez mais alto de complexidade.

Isso porque esses recursos de AI e ML trazem três benefícios específicos para os profissionais de tecnologia da informação, conforme a Cisco: mais visibilidade, insights melhores e ações direcionadas, o que pode ajudá-los a entender melhor as redes e também a antecipar problemas - veja mais sobre eles abaixo.

A partir do uso de AI, a plataforma da companhia correlaciona os dados relevantes coletados de forma contínua em redes locais para fazer análises inteligentes e criar bases personalizadas. Com isso, há uma redução significativa no número de alertas exibidos (a companhia falou em uma redução de 75%), com o sistema mostrando apenas mudanças e anomalias que sejam únicas ao cliente e seu ambiente.

Além disso, as novas funcionalidades da Cisco usam algoritmos da chamada Machine Reasoning, uma tecnologia dentro do espectro da AI, e fluxos automatizados para realizar diferentes processos de resolução de problemas, auxiliando o departamento de TI a detectar e solucionar eventuais problemas e vulnerabilidades de forma mais rápida.

Para o VP sênior de gerenciamento de produtos da Cisco, Sachin Gupta, o uso dessas tecnologias inteligentes, que a empresa já vinha adotando em outras áreas, ainda tem um longo caminho a ser percorrido quando o assunto são redes. “Acredito que estamos apenas no começo do que podemos fazer com AI e ML em redes."

*o jornalista viajou para San Diego a convite da Cisco