Home  >  Negócios

G20 quer regras comuns sobre impostos para gigantes de tecnologia

Membros do bloco prometeram redobrar esforços para evitar "brechas"; relatório final chega em 2020

Da Redação

10/06/2019 às 9h00

Smartphones FGV
Foto: Shutterstock

Os ministros das finanças dos países membros do G20 afirmaram neste domingo, 9/6, que chegaram a um acordo com foco em regras comuns contra “brechas” usadas por gigantes de tecnologias para reduzir os impostos pagos. As informações são da Reuters.

Segundo a agência de notícias, o bloco indica novas regras que significarão taxas mais pesadas para empresas como Facebook e Google, além de dificultar que países atraiam investimentos de multinacionais com a promessa de impostos corporativos extremamente baixos.

Em um comunicado,  aponta a Reuters, o grupo diz que irá “redobrar os esforços para uma solução baseada em consenso com um relatório final em 2020”.

“No momento, temos dois pilares e sinto que precisamos dos dois pilares ao mesmo tempo para isso funcionar. As propostas ainda são um pouco vagas, mas estão tomando forma gradualmente”, afirmou o ministro das finanças do Japão, Taro Aso.

O primeiro desses pilares, de acordo com a agência, consiste em dividir os direitos de tributar uma companhia onde os seus produtos e serviços são vendidos – mesmo sem presença física. O segundo seria uma espécie de taxa mínima global de imposto, que seria decidida entre os integrantes do bloco.

“Realmente acreditamos que as gigantes de tecnologia, que não são apenas o GAFA (nota: acrônimo usado para se referir a Google, Amazon, Facebook e Apple), devem pagar a sua fatia justa de imposto onde criam valor e lucro”, afirmou o comissário da União Europeia para assuntos econômicos, Pierre Moscovici.