Home  >  Negócios

Empresas perdem até US$ 20 milhões ao ano por má gestão de dados

Novo estudo da Veeam também mostra que as organizações estão agindo para combater isso

Da Redação

05/06/2019 às 12h00

Foto: Shutterstock

Uma nova pesquisa da Veeam aponta que 73% das empresas admitem não atender às demandas dos usuários por acesso ininterrupto a dados e serviços, o que pode custar até 20 milhões de dólares por ano à companhia.

Por outro lado, o levantamento também mostra que as organizações estão agindo para combater isso, já que cerca de 72% das empresas afirmaram que já estão adotando tecnologias de Gerenciamento de Dados na Nuvem, e explorando os recursos da nuvem híbrida para agregar ainda mais valor aos seus dados.

Intitulado Relatório Gerenciamento de Dados na Nuvem da Veeam de 2019, o estudo em questão entrevistou mais de 1.500 líderes de negócios e de TI em 13 países e descobriu que os entrevistados estão cientes da importância da gestão de dados para o sucesso de suas organizações, de acordo com a Veeam.

“Estamos vivendo em uma era orientada por dados e as organizações precisam acordar e agir para protegê-los. As empresas devem gerenciá-los de forma que eles sempre estejam disponíveis e possam aproveitar o seu valor para impulsionar o desempenho das instituições. Isso não é mais um luxo, mas uma necessidade comercial”, afirma o cofundador e Vice-Presidente Executivo (EVP) de Vendas e Marketing da Veeam, Ratmir Timashev.

Quase metade dos entrevistados admite que a proteção de dados é fundamental para alavancar os investimentos em tecnologias como nuvem híbrida, Big Data, Inteligência Artificial (AI) e Internet das Coisas (IoT).

Além disso, apenas 37% das empresas estão muito confiantes em suas soluções atuais de backup, com a maioria (73%) admitindo que não é capaz de atender às demandas dos usuários.

Isso inibe a adoção de ferramentas e processos que podem gerar vantagem competitiva, aponta a Veeam. No entanto, os líderes reconhecem o que precisa ser feito; mais da metade dos entrevistados está buscando implantar tecnologias de Gestão Inteligente de Dados e soluções multicloud em toda a empresa para resolver essa falha.

Jornada para um negócio mais inteligente
O Relatório de Gerenciamento de Dados na Nuvem da Veeam 2019 também descobriu que as organizações estão em uma jornada para se tornar um negócio mais inteligente, o que significa aproveitar melhor as tecnologias de gerenciamento de dados e inteligência artificial para criar uma visão em tempo real do negócio e a capacidade de agir de forma inteligente a partir dessa visão.

Entre as organizações que se encontram nessa jornada, o estudo destaca quatro características comuns em todo o mundo:

1. Cloud: Gestão de Dados na Nuvem é um componente-chave para entregar um gerenciamento de informações mais inteligente. Três quartos das empresas relatam o uso de plataformas SaaS (Software-as-a-Service). Muitos estão utilizando a nuvem para seus serviços de backup e recuperação, com 51% usando Backup como serviço (BaaS) e 44% usando disaster-as-a-service (DRaaS). É evidente que os líderes estão reconhecendo as vantagens de uma abordagem baseada em multicloud e nuvem híbrida, citando custo, confiabilidade, flexibilidade e segurança de dados como principais razões para essas escolhas.

2. Capacitação: as organizações devem aprimorar suas habilidades para garantir que os funcionários aproveitem ao máximo os insights extraídos dos dados à medida que as tecnologias são implantadas. Nove de dez empresas veem a qualificação dos colaboradores como vital para o sucesso digital.

3. Cultura: Criar uma cultura que seja adaptável e receptiva às novas tecnologias para as pessoas evoluírem com a organização é essencial. Mais de dois terços dos entrevistados acreditam que a cultura da empresa precisa se tornar mais aberta e receptiva às tecnologias digitais.

4. Confiança: as organizações devem criar um senso de confiança nas habilidades digitais da empresa, baseadas em uma sólida base de dados. Atualmente, apenas um quarto dos entrevistados relatou total confiança em sua capacidade de enfrentar os desafios tecnológicos.