Home  >  Inovação

Volkswagen reduz em 25% tempo de produção de veículos com digitalização

VW planeja automatizar 90% dos processos de produção nos próximos anos; novo posicionamento da marca é movido por inovação e experiência do usuário

Karen Ferraz

30/05/2019 às 10h00

Foto: Shutterstock

Legenda:

Desde que iniciou a digitalização de processos em direção à indústria 4.0, há oito anos, a Volkswagen reduziu em 25% o tempo de produção de seus veículos. Já o nível de automação nas fábricas aumentou de 50% para 70%, enquanto o tempo de desenvolvimento de um protótipo diminuiu para nove meses. Os dados foram apresentados pelo presidente e CEO da Volkswagen América Latina, Pablo Di Si, durante evento realizado para a imprensa na fábrica Anchieta, São Bernardo do Campo (SP), nesta quarta-feira, 29/5.

“A Nova Volkswagen busca ser mais ágil, mais moderna e mais próxima das pessoas. E o principal é que todas as tecnologias que suportam a transformação de nossas fábricas foram desenvolvidas aqui no Brasil”, evidenciou o líder regional da companhia que alcançou a redução de 15% de custo com a transição.

Ao caminhar pela fábrica da Volkswagen temos a impressão de estarmos em uma empresa de tecnologia. Cada veículo possui um Tag RFiD que armazena seu número de identificação, que depois será lido pelo sistema ao longo da linha de montagem. Robôs e máquinas são informados sobre o veículo e quais operações devem ser realizadas de acordo com o modelo e especificações. Ao mesmo tempo, operários visualizam processos por meio de telas que dão a instrução correta de montagem.

Já nos laboratórios de engenharia, sistemas de realidade virtual permitem visualizar em tamanho real protótipos de veículos que ainda serão lançados, bem como validar produtos e processos produtivos de forma mais ágil. Tudo isso resulta na tomada de decisões com mais rapidez, assertividade e segurança.

Com tanta automação – que deve chegar a 90% nos próximos anos, segundo Pablo Di Si – o trabalho nas fábricas foi altamente impactado e passou a exigir um novo perfil de funcionários. Dessa forma, a companhia investe alto no treinamento dos colaboradores para acompanharem essas mudanças.

Enquanto um carro hoje é montado por menos pessoas, a necessidade de talentos para lidar com as tecnologias é cada vez maior. “A ferramenta não é importante, o importante são os funcionários. A prova disso é que contratamos mais de 900 pessoas desde o ano passado”, explica o executivo.

A Nova Volkswagen
Com investimento de R$ 7 bilhões, a marca espera chegar a 20 lançamentos até 2020, totalmente desenhados no Brasil, incluindo seis carros híbridos e elétricos (a versão híbrida do Golf GTE está programada até o fim do ano). Para tanto, o projeto da Nova Volkswagen promove uma mudança cultural, que envolve principalmente os funcionários, orientada para melhorar a experiência do cliente a partir das seguintes inovações:

- Design e protótipo digital: o design de um veículo é realizado digitalmente, de ponta a ponta, e permite atualização em tempo real e mais rapidez na tomada de decisões, eliminando desenhos e ajustes manuais. Para a prova de conceito, designers e engenheiros utilizam sistemas de realidade virtual e aumentada para a criação de protótipos 3D, sem a necessidade de peças físicas.

- Fábrica digital: processos e produtos são integrados no ambientes virtual por meio da realidade híbrida, que começou a ser utilizada há três meses na fábrica. A inovação simula a realidade, diminui os custos e melhora a ergonomia. Anteriormente, a simulação de ergonomias na montagem de um veículo levava 22 horas, e hoje dura 30 segundos, proporcionando grandes melhorias na qualidade de trabalho do operário. O projeto da fábrica digital será concluído em três anos.

- Digitalização da concessionárias (DAS): com o desenvolvimento da ilha digital para suas concessionárias, a VW oferece uma solução de baixo custo (R$ 28 mil) para melhorar a experiência do cliente nas revendas. “O jogo vai mudar e já está mudando”, pontuou Pablo Di Si. Ele explica que a tendência é que o número de concessionárias diminua com a virtualização e reduza o capital de giro (gastos com logística, imóveis, etc). As concessionárias serão cada vez menores e terão apenas um carro em exposição. Os modelos de veículos são apresentados em uma tela de alta definição e experimentados com óculos de realidade virtual em uma garagem virtual. A vantagem: um vendedor pode levar a experiência até a casa do cliente e agendar um test drive. A expectativa é que 100 concessionárias sejam digitalizadas até o fim do ano.

- Digitalização do pós-venda e do back office: enquanto o processo de compra de um veículo já pode ser realizado totalmente no ambiente online, a companhia traz o pós-venda à palma da mão dos clientes. Com o app “Meu Volkswagen”, é possível realizar o agendamento online de serviços e acessar um “manual cognitivo” online que utiliza o sistema IBM Watson para auxiliar o usuário com 13 mil perguntas e respostas cadastradas. No back office, o app VW&Eu, baseado no Watson da IBM, é utilizado por mais de 15 mil colaboradores para tirar dúvidas de recursos humanos.

T-Cross: a consolidação da VW na era digital
Lançado há três meses no Brasil, o T-Cross é a tradução do novo posicionamento da Volkswagen. O segundo SUV da marca foi pensado não apenas para ser um carro bonito e espaçoso, mas também para oferecer uma experiência interativa ao cliente – seja no volante ou no aplicativo.

A tecnologia VW Connect fornece informações do veículo via bluetooth para o smartphone do usuário. Dessa forma, é possível localizar o automóvel em um mapa e acessar dados sobre o trajeto percorrido, valor gasto para percorrer um trajeto, autonomia da bateria, troca de óleo, revisão do veículo, dentre outros.

O entretenimento fica por conta de central de multimídia com tela de 8 polegadas, GPS, comandos por voz e de sistema de som Beats. As versões topo de linha trazem recursos como estacionamento semi-autônomo, faróis full-led, seletor de modos de condução, retrovisores externos com rebatimento elétrico, iluminação ambiente em led e detector de fadiga.

O T-Cross foi inteiramente fabricado no Brasil e está disponível a partir de R$ 107 mil.