Home  >  Segurança

Centro Paula Souza reforça cibersegurança em linha com LGPD

Projeto desenvolvido pela Brasoftware aperfeiçoou a segurança da instituição, impactando mais de 300 mil usuários

Da Redação

24/04/2019 às 13h30

Foto: Shutterstock

O Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CPS), órgão do Governo do Estado de São Paulo, que administra as Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) e Faculdades de Tecnologia do Estado de São Paulo (Fatecs), adquiriu a solução da Kaspersky EndPoint para ampliar a segurança do seu parque, que contempla a Administração Central e todas as suas Unidades de Ensino, tendo em vista atender demanda interna e a nova Lei Geral de Proteção de Dados, sancionada em agosto de 2018.

A solução já está rodando nas mais de mil máquinas da Administração Central, enquanto o restante foi dividido entre as escolas e faculdades. O projeto, que foi desenvolvido pela Brasoftware, impactou mais de 300 mil pessoas, incluindo alunos, professores e servidores administrativos.

Com essa solução, é possível ter uma visão geral de cada máquina individualmente, saber quais são os softwares mais utilizados por aquele equipamento e assim enxergar o tipo de licenciamento necessário para aquela máquina, cancelando ou renovando as licenças de diferentes softwares. Outra vantagem dessa solução é a administração centralizada dos riscos de segurança, além de ser possível inserir políticas de segurança específicas para cada instituição e para a administração central.

“Uma escola que utiliza jogos na sala de aula, precisa de permissão para acessar esse tipo de site, outra que ensina robótica, precisa de autorização para acessar sites sobre este tema. Com essa nova solução, ficou muito mais fácil trabalhar políticas específicas para cada instituição”, comenta Ruben Pimenta, diretor de TIC do Centro Paula Souza.

Um dos desafios superados durante o projeto foi a conexão centralizada de todos os endpoints em uma única interface. Não existia uma única rede entre a administração central e as escolas, foi necessário criar uma solução customizada com interfaces de gerenciamento locais que se comunicam com a interface central, para coletar dados e saber se o antivírus está atualizado e funcionando corretamente.

Em um segundo momento, será feita a criptografia das máquinas para adicionar ainda mais segurança ao ambiente. Os computadores da Administração Central estão servindo de projeto piloto para essa funcionalidade que o Kaspersky tem. A última etapa será incluir todas as 70 mil máquinas utilizadas nas Etecs e Fatecs, colocando todo o ambiente do Centro Paulo Souza, em um nível de proteção e gerenciamento padronizado.