Home  >  Segurança

Ataques para mineração de criptomoedas crescem mais de 200%

Em novo relatório Round Up, empresa de segurança Trend Micro também aponta que os métodos de ataque ficaram mais diversificados

Da Redação

22/04/2019 às 9h03

malware
Foto: Shutterstock

Os ataques para mineração de criptomoedas cresceram 237% no mundo no último ano em comparação com 2017, de acordo com informações do novo estudo Round Up, da Trend Micro.

E, conforme aponta a mais recente edição do levantamento anual realizado pela empresa de segurança, os métodos utilizados nesses ciberataques estão cada vez mais diversificados.

Os criminosos exploraram brechas via plataformas de anúncios maliciosos, anúncios pop-up, explorações de servidor, extensões de navegadores mal-intencionados, celulares, plug-ins, botnets, pacotes com software legítimo, kits de exploração e ransomwares adaptados, segundo a Trend Micro.

“Os atacantes enxergaram neste tipo de mineração uma corrida do ouro, utilizando as mais variadas investidas para obter dispositivos capazes de encontrar os blocos. Além disso, como essa foi uma modalidade de cibercrime cresceu consideravelmente apenas nos últimos anos, muitas vítimas não estavam com seus dispositivos prevenidos conta todos esses tipos de ameaça”, explica o especialista em cibersegurança da Trend Micro, Leonardo Souza.

Fóruns clandestinos

Os pesquisadores também analisaram fóruns clandestinos on-line, onde encontraram ferramentas e serviços relacionados a dois métodos principais de criptografia anunciados com mais frequência: malware de mineração com criptografia - em que a maioria dos exemplos mencionados se enquadram - e malware que rouba criptografia.

Além disso, apesar das evidências de que smartphones, roteadores e outros dispositivos de IoT não têm capacidade para mineração, esses fóruns clandestinos ainda continuam vendendo produtos relacionados a atividades de mineração que usam esses dispositivos em grande volume para fazer com que os criminosos consigam lucrar.