Home  >  Inovação

Muito além do poder de processamento, Intel foca em dados

Estratégia da empresa na nova era é integração, diversidade e parceria colaborativa apoiada em inteligência nos canais

Solange Calvo

16/04/2019 às 11h30

Reginaldo Rodrigues da Intel
Foto: Divulgação

O futuro que saltou da ficção e hoje domina corações e mentes no berço da era digital chegou quase a sentenciar os PCs. Ameaçados pelos smartphones, que andam se esgueirando por todas as brechas, ganhando poder e status de hub de todas as coisas, ainda não foram vencidos. Eles continuam sendo, ao menos por enquanto, quartel general, onde acontece a magia do desenvolvimento, da programação e do processamento, protagonistas da matéria-prima do digital.

De acordo com estudo IDC Brazil PCs Tracker Q4/2018, no último trimestre de 2018, foram vendidos perto de 1,5 milhão de computadores. Somando-se à performance dos trimestres anteriores, o ano fechou com vendas de 5,575 milhões de computadores, apresentando incremento. Isso mostra, segundo a IDC, que o mercado de PCs está vivo e com fôlego.

A consultoria entende que o mercado de computadores continua sendo muito importante porque ainda não existe um dispositivo que faça tudo o que um computador faz e, portanto, ainda insubstituível. É o que endossa Reginaldo Rodrigues, diretor de Distribuição e Canais da Intel Brasil.

“Em 2017, tivemos uma queda na venda de PCs. Em 2018, a venda cresceu. Afinal, toda a programação é realizada em PCs e não em smartphones. Hoje, a estratégia é a de integração e não de competição entre PCs e smartphones”, diz o executivo.

Ainda sob o efeito da sua participação na segunda edição do evento anual Intel Partner Connection (IPC), que reúne seus parceiros e canais, realizado em março deste ano, Rodrigues destaca que agora o que impera é a inteligência. “É o que a Intel trouxe para o seu programa de canais, toda a inteligência. Inteligência alimentada por dados.”

Segundo ele, o pulo do gato da Intel, além do foco na experiência do usuário, não menos importante, é a construção de um novo ecossistema estratégico, apoiado na diversidade dos seus integrantes. Dessa forma, irá expandir conhecimento e fortalecer a atuação com uma visão 360°. É uma drástica mudança no ecossistema, revela Rodrigues, para atender aos processos de transformações digitais. Parte dele mantem-se como antes, que seria o caso de fornecedores tradicionais de hardware.

“O IPC 2019 foi o segundo ano que tivemos as presenças de parceiros, sendo eles de SW (ISVs), integradores de solução (SIs), provedores de serviços,  fabricantes de HW, distribuidores além dos membros do programa ITP (Intel Technology Provider), com representação de todas as Americas, ou seja, ecossistema presente em nossa conferência”, orgulha-se o executivo.

E acrescenta: “A transformação é complexa e importante, pois hoje o foco é em soluções completas, desde uma solução mais simples de IoT com os dados sendo gerados na ponta e sendo levados para uma nuvem pública, privada ou híbrida ou mesmo processamento de analíticos localmente, chegando às soluções de verticais como Indústria 4.0, Agricultura e Smart Cities, com ou sem inteligência artificial”.

Para que toda essa tecnologia esteja disponível, prossegue Rodrigues, os investimentos de P&D são muito mais importantes para impulsionar o desenvolvimento do ecossistema, além de desenvolver as startups que passam a ser participantes muito importantes.

Rodrigues destaca que o evento contou ainda com a presença de empresas globais e locais como VMWare, RedHat, Accenture, Lenovo, Microsoft, SAP, All Nations, Aldo, SND e de integrantes do ecossistema da Ásia como Bmor, Soulth Holdings, Gigabyte e Lengda.

Intel Select Solution

Um dos motores dessa estratégia, focada na inteligência dos canais, é o Programa Intel Select Solution, projetado para ajudar os membros do seu amplo sistema de parceiros a fortalecer a entrega de soluções de ponta a ponta por meio de suporte exclusivo e oportunidades de dimensionamento.

Ele traz um pacote de soluções específicas para agilizar a seleção e a implantação de infraestrutura de redes e comunicação para data centers. Com base em benchmarks e soluções testadas e verificadas para workloads específicos, ele garante performance de ponta para análise de dados, nuvem híbrida, armazenamento e demais operações de rede.

São soluções globais já existentes, otimizadas para workloads por meio de computação, armazenamento e redes em colaboração com líderes mundiais em data center e provedores de serviços, desenvolvidas com a liderança tecnológica da Intel e expertise dos parceiros do ecossistema e Indústria.

Para Rodrigues, muito além de liderança e experiência inquestionável em processamento, a Intel se reinventou, acompanhou a evolução da nova era, apoiada em simplificar a experiência do usuário, focada em dados, proporcionando esteira para que as empresas revolucionem seus negócios com base na inteligência.