Home  >  Negócios

Google reforça posicionamento open source na nuvem

Sete empresa já fazem parte desse ecossistema, revela executivo do Google

Déborah Oliveira

09/04/2019 às 14h15

Foto: Shutterstock

O código aberto é o futuro da nuvem. É com base nessa crença que o Google anunciou durante seu evento anual, o Next, em San Francisco (EUA), que está tornando sua cloud open source para parceiros e clientes.

Para colocar a estratégia em prática, a gigante anunciou aliança com sete empresas. São elas: Confluent, DataStax, Elastic, InfluxData, MongoDB, Neo4j e Redis Labs. A partir de agora, os serviços gerenciados que essas empresas oferecem estarão integrados ao Google Cloud Platform (GCP) e Anthos, plataforma híbrida, que permite a qualquer empresa adotar uma infraestrutura de nuvem pública com vários fornecedores, de forma escalável e rápida, o que vai permitir que os clientes possam ter a mesma experiência de gerenciamento, cobrança e suporte.

Kevin Ichhpurani, vice-presidente global de ecossistema de parceiros do Google, revela que a iniciativa tem sido vista com entusiasmo pela companhia, uma vez que constrói uma comunidade open source para ampliar a inovação em todo o ecossistema.

Segundo ele, a novidade nasceu da demanda dos próprios clientes, que querem ter acesso a serviços gerenciados completos. Com o posicionamento, portanto, o Google passa a oferecer experiência em gerenciamento, faturamento e suporte de forma integrada.

“Esse formato reduz a complexidade de suporte e ainda aprimora a segurança”, garante o executivo. Com a novidade, revela Ichhpurani, o Google também indica que o cliente tem mais liberdade, já que não está fechado usando apenas uma tecnologia.

O Google indica que o mercado de banco de dados de código aberto é gigantesco e está crescendo rapidamente. De acordo com a consultoria SearchDataManagement.com, mais de 70% das novas aplicações desenvolvidas por empresas serão executados em um sistema de gerenciamento de banco de dados de código aberto, e metade das instalações de bancos de dados relacionais construídas em tecnologias DBMS comerciais será convertida para plataformas de código aberto ou estão em processo de conversão. Os dados, segundo a empresa, endossam a movimentação do Google.

Dominic Preuss, diretor de gerenciamento de produtos do Google, conta que a novidade estará disponível nas regiões em linha com as estratégias dos parceiros. “Cabe aos terceiros definir a disponibilidade, com base nas demandas do cliente”, finalizou ele, sem indicar se o Brasil está na lista já nesse primeiro momento.

*A jornalista viajou a San Francisco (EUA) a convite do Google

Tags