Home  >  Plataformas

Novos iMacs trazem melhorias para profissionais de empresas

Os recém-atualizados computadores da Apple oferecem processadores mais rápidos, gráficos melhorados e muito mais.

Jonny Evans, da Computerworld (EUA)

01/04/2019 às 15h00

Foto: Apple/divulgação

Os recém-atualizados iMacs da Apple têm muito a oferecer aos usuários corporativos e consumidores, incluindo processadores mais rápidos e desempenho gráfico aprimorado.

É interessante notar que a Apple escolheu anunciar esses novos Macs com nada além de um comunicado à imprensa, apesar de os computadores não terem visto atualizações significativas desde a WWDC 2017.

Isso provavelmente reflete a importância com a qual a empresa vê o lançamento de seu serviço de streaming em março de 2019, o Apple TV+, revelado na última segunda-feira, 25/3, durante evento nos Estados Unidos.

Tomar a decisão de lançar iPads e iMacs atualizados na semana anterior ao lançamento do serviço de streaming mostra a determinação da empresa em não desviar o foco desse lançamento, refletindo os milhões de dólares que gastou junto ao serviço.

“Se a Apple anunciasse os novos Pads, isso se tornaria um evento de hardware, e não é o que ela quer”, afirma a analista da IDC, Lauren Guenveur, à CNN.

Embora isso faça sentido estrategicamente, posso imaginar que as pessoas envolvidas no desenvolvimento dos novos Macs e iPads teriam gostado bastante de um evento adicional da Apple para apresentar os novos dispositivos. Afinal, as vendas de Mac e iPad geraram uma receita significativa de US$ 11 bilhões no 4T de 2018.

Como a Apple melhorou seus iMacs?

Novos processadores Intel, gráficos mais rápidos e outros aprimoramentos significam que esses iMacs com apenas 5 milímetros de espessura devem ser desktops extremamente capazes de lidar com tarefas de uso intensivo de gráficos, como edição de vídeo, desenvolvimento de conteúdo 3D ou design gráfico.

Os novos iMacs não apenas oferecem telas Retina (4K ou 5K, dependendo do tamanho da tela), mas agora também usam os gráficos Radeon Pro Vega e oferecem até 14,7 milhões de pixels, 1 bilhão de cores e 500 nits de brilho.

Os iMacs vêm com 8GB de memória como padrão e podem suportar até 32GB. As interconexões incluem quatro portas USB 3, duas portas Thunderbolt 3/USB-C, entrada de fone de ouvido, slot para cartão SDXC e conector Ethernet gigabit.

Detalhes dos modelos

A grande atenção está no aprimoramento do processador e dos gráficos. Confira os números abaixo:

  • O iMac de 21,5 polegadas oferece um processador i3 de 8ª geração quad-core de 3,6GHz ou um processador Intel Core i5 de 6 núcleos e 8ª geração de 3.0GHz e uma GPU Radeon Pro 555X ou uma Radeon Pro 560X. Você também pode solicitar um modelo com um processador i7 de seis núcleos, 32 GB de RAM e GPU Radeon Pro Vega 20 da AMD (com 4 GB de memória). A Apple diz que os iMacs oferecem desempenho 60% mais rápido e uma performance gráfica até 80% mais rápida se comparado com modelos anteriores. Estes modelos custam a partir de 11.700 reais
  • O iMac de 27 polegadas inclui processadores Intel i5 de 6 núcleos de 7GHz de 9ª geração ou processadores Intel Core i5 de 6 núcleos de 3,1GHz da 8ª geração. Você pode encomendar um modelo com o processador i9 de oito núcleos da 9ª geração da Intel. A Apple promete um desempenho de processador até 2,4 vezes mais rápido e performance gráfica até 50% mais rápida que o modelo anterior. Estes custam a partir de 16 mil reais
  • A Apple não atualizou seu iMac Pro – potencialmente porque pretende apresentar uma nova versão de seu principal iMac ao lado de um novo Mac Pro na WWDC. No entanto, a companhia lançou a Radeon Pro Vega (US$ 700) e uma nova RAM de 256GB como opções de criação sob encomenda. (9to5Mac apontou que maximizar a memória no iMac Pro deve custar mais do que o próprio Mac – 5.200 dólares).

Esses Macs são adequados para a empresa?

A crescente gama de produtos da Apple reflete o quanto ela mudou desde a visão de quatro produtos adotada por Steve Jobs no final dos anos 90, quando resgatou a empresa.

Os principais produtos da empresa eram todos os Macs. Hoje, ela tem uma variedade de famílias de produtos: Macs, dispositivos móveis, serviços e wearables, além de uma pilha crescente de produtos de software projetados para fazer tudo isso funcionar em conjunto.

Não é só a Apple que mudou. As necessidades de seu mercado também se transformaram.

A empresa reconhece, com razão, que o mercado que atende é maior do que nunca – 1,4 bilhão de usuários de iOS significa que centenas de milhões de pessoas agora andam por aí com um computador no bolso.

No entanto, todo mundo tem necessidades diferentes. Isso é reflexo dos requisitos mais díspares deste mercado maior para o qual a Apple agora oferece uma gama mais ampla do que antes de produtos diferenciados para diferentes necessidades.

O problema é que as necessidades da TI corporativa também estão mudando. Muitas tarefas que antes precisavam de um PC, agora podem ser manipuladas de forma bastante competente por um iPad mini, enquanto outras tarefas que nunca existiram podem precisar de um Mac.

Mesmo assim, e mesmo dentro disso, a necessidade das empresas pelo desenvolvimento e design de software está crescendo, não diminuindo, e esses novos iMacs fornecem o poder para lidar com tais tarefas – embora, as companhias que desenvolvem a próxima geração de Realidade Aumentada (AR) e soluções de colaboração possam precisar de ainda mais potência, que eu acho que eles encontrarão na WWDC 2019.

Tags