Home  >  Plataformas

Vivo amplia rede para aplicações de internet das coisas

Tecnologias NB-IoT e LTE-M vão garantir, segundo empresa, dispositivos conectados com menor custo de energia

Da Redação

20/03/2019 às 14h02

Foto: Shutterstock

A Vivo Empresas, área voltada ao segmento B2B da Telefônica Brasil, informa que ampliou a atuação no mercado de internet das coisas (IoT). A empresa lançou as redes Narrow Band IoT (NB-IoT) e Long Term Evolution for Machines (LTE-M) em linha com IoT.

Segundo explica a empresa, enquanto a rede NB – IoT responde melhor por dispositivos estáticos - com aplicações em cidades, por exemplo, em iluminação pública, lixeiras, bueiros inteligentes, sistemas de alarmes, monitoramento, além de medidores inteligentes de água, luz e gás, a tecnologia LTE-M apresenta melhor performance em aplicações que demandam mais mobilidade, como rastreamento de veículos, de animais, de objetos de alto valor ou até mesmo em sistemas de pagamento por P.O.S.

Ambas tecnologias suportam o grande número de dispositivos conectados previsto para os próximos anos, possibilitando que as aplicações absorvam as características das novas redes, com alta autonomia de bateria, e melhor cobertura do sinal, especialmente em ambientes remotos ou de subsolo.

Atualmente, a Vivo conta com mais de 8 milhões de dispositivos conectados no segmento M2M-IoT, sendo que mais da metade desses dispositivos são gestionados na Vivo Kite Plataform, plataforma própria de gestão de dispositivos IoT da companhia. Entre as funcionalidades da ferramenta estão a possibilidade de habilitar ou desabilitar serviços, acompanhar o status das conexões em tempo real, localização aproximada e evitar a utilização indevida de um equipamento não autorizado.

eSIM integrado

Para potencializar o uso das redes NB-IoT e LTE-M, a Vivo quer oferecer a funcionalidade de embedded SIM (eSIM). A tecnologia de eSIM complementa o portfólio de SIM Cards tradicionais, viabilizando um novo modelo de negócio para a indústria. Com a iniciativa, o SIM Card se torna um componente eletrônico e passa a ser embarcado nos equipamentos durante o processo de fabricação dos dispositivos.